Post-AMPLIFEST Session

André Coelho


Post-Amplifest Session @ Hard Club:
Portas 20:00
Hacride 20h30 – 21h00
Tides From Nebula 21h15 – 21h55
Shining 22h10 – 22h50
The Ocean Collective 23h10 – 00h25

Evento no Facebook · Amplifest 2013 no Facebook

THE OCEAN
Site · Facebook
Aos The Ocean Collective – ou, simplesmente, The Ocean – não se pode lançar a acusação de tomarem caminhos óbvios ou fáceis. A música dos berlinenses é cerebral, minuciosa, complexa e a cada álbum suportada por elaborados temas conceptuais, características que tornam a audição do seu post-metal progressivo numa tarefa exigente mas, acima de tudo, gratificante. A prova irrevogável desta afirmação encontra-se em “Pelagial”, o mais recente registo que recupera a agressividade dos tempos de “Precambrian”, álbum charneira e definidor da carreira dos The Ocean, e acrescenta-lhe ainda o poder narrativo demonstrado no díptico composto pelos álbuns “Heliocentric” e “Anthropocentric”. Em “Pelagial”, o colectivo liderado pelo guitarrista e principal compositor Robin Staps pretende relatar uma lenta mas definitiva descida até aos mais profundos recantos do oceano e cumpre este objectivo com uma elegância estonteante, fazendo uso de uma ampla paleta de dinâmicas que vão desde a sóbria orquestração até ao mais incisivo dos riffs. Finalmente de volta aos palcos portugueses, no auge da sua carreira, os The Ocean não deixarão qualquer réstia de dúvida sobre a razão de serem hoje um dos principais nomes dentro do seu género.

SHINING
Site · Facebook
A premissa parece improvável, mas é exacta: tendo começado actividades como um projecto de jazz acústico, os Shining acabaram por se transformar, quais lobisomens sonoros, numa das mais inovadoras e desafiantes forças do espectro actual da música extrema. Com o álbum “Blackjazz”, de 2010, os noruegueses simultaneamente criaram e baptizaram uma linguagem na qual apenas os próprios têm a capacidade de se exprimir, sendo que a sua complexa semântica assenta num vocabulário onde encontramos tanto o riff e o groove acutilantes e mecânicos do metal industrial como a convulsão demoníaca do free jazz. O novo registo “One One One” condensa todos os elementos anteriormente presentes em “Blackjazz” em nove curtos temas que possuem a rara virtude de demonstrar os atributos técnicos da banda sem descurar a musicalidade e até, surpreendentemente, uma certa acessibilidade radiofónica. Na sua muito esperada estreia em Portugal, teremos finalmente a oportunidade de testemunhar ao vivo a execução de temas como “Fisheye” ou “The Madness and The Damage Done” acompanhados por um jogo de luzes tão espasmódico quanto a música dos Shining.

TIDES FROM NEBULA
Site · Facebook
Os Tides From Nebula conhecem como a palma da mão a estrada que vai desde a contemplação absorta até ao furioso headbanging e a sua música é o diário de bordo dessa jornada. Em pleno processo de consolidação como um sólido nome a ter em conta sempre que o assunto de conversa for o panorama do pós-rock europeu, os polacos terão com este seu regresso a Portugal mais uma oportunidade de comprovar os relatos de actuações plenas de intensidade e entrega dos músicos que chegam um pouco de todo o lado. Com o sucessor do álbum “Earthshine” já em fase de retoques finais, espera-se deste concerto dos Tides From Nebula um desfile de luxuriantes paisagens sonoras, crescendos de suster a respiração e enérgicas descargas de peso.

HACRIDE
Site · Facebook
Com uma carreira cujo início remonta a 2001 e que foi alvo de várias mutações tanto ao nível da formação da banda como na sonoridade praticada, os franceses Hacride exibem no seu quarto e mais recente álbum “Back To Where You’ve Never Been” um metal marcadamente progressivo que, por entre piscadelas de olho aos conterrâneos Gojira, esquizofrenias polirrítmicas que não destoariam num disco de Meshuggah e uma marcada herança metalcore na prestação vocal, mantém uma sensibilidade melódica constante como fio condutor e agregador. Desconhecidos por uma fatia considerável do público português, apesar da sua longevidade e tenacidade, os Hacride usarão todas as armas de que dispõem para, com este concerto, expandir a sua base de seguidores no nosso país.

BILHETES:
10€ C/ AMPLIFEST 2013 (APRESENTAÇÃO OBRIGATÓRIA)
15€ NORMAL
Já à venda na AMPLISTORE e nas lojas Jojo’s (agora em frente ao Coliseu), Louie Louie, Matéria Prima e Piranha.

+ info: amplificasom@gmail.com
Imprensa: press@amplificasom.com