A fusão da música erudita com a electrónica ambiente


Se Erik Satie e Debussy vivessem nos dias de hoje, possivelmente utilizariam a electrónica para criar a sua música.

Projectos como Deaf Center, Murcof, Max Richter, Greg Haines e até Peter Broderick conjugam a música erudita (usualmente chamada clássica) com a electrónica ambiente.

Estes músicos e muitos outros são os seguidores dos compositores romanticos dos finais do séc xix e inícios do séc xx.

Erik Satie foi o inventor da música ambiente, que ele chamava de musique d’ameublement. Consistia em usar sons naturais por cima das suas músicas.

Nos dias de hoje esses sons são vulgarmente chamados de field recordings (gravações de campo), podem ser captados de vários ambientes, ou então podem ser retirados de gravações (de filmes, rádio, discos, etc)

Em Portugal temos alguns casos de projectos deste tipo, falo de Tiago Sousa e Tiago Benzinho.

Editoras como a Type Records e Leaf ajudaram a espalhar esta sonoridade.

É música cinemática, é por isso muito é usada em cinema e em publicidade, em peças de dança ou Teatro.

Sinto curiosidade para ver o que este conjunto de músicos vai fazer no futuro e qual a sua irá ser a sua importância para a música erudita ambiente, vamos esperar mais uns anos para ver se o Greg Haines é o Arvo Pärt do séc. XXI :)

Comentários

Comentar