A nossa primeira vez com os Boris

Se a memória não me engana, anunciamos a estreia dos Boris em Portugal nuns flyers todos catitas no concerto de Orthodox na Fábrica de Som. Alguém confirma? Estavamos a 1 de Março de 2008, os japoneses que sábado vão arrasar a sala 2 (já vos dissemos que o Michio-Ghost-Kurihara também vem outra vez?) iriam tocar no Porto-Rio em Maio. Passou num ápice embora pelo meio tivessemos tido outras grandes noites e momentos como Glenn Jones, Zatokrev, La Ira de Dios ou Ephel Duath. Com eles vieram os Growing, outra estreia e outro belíssimo concerto.

Três anos se passaram. A Amplificasom saudavelmente cresceu, os Boris cresceram ainda mais e de 2008 a 2011 vimo-los a tocar em todos os palcos possíveis, vimo-los editar discos e mais discos, a abrir para Nine Inch Nails, a musicar filmes de Jim Jarmusch… Começaram nos inícios dos noventas, foram buscar o nome aos míticos Melvins e colaboraram com mestres como Keiji Haino e Merzbow ou subiram altares com bandas como Sunn O))). Hoje, vinte anos depois, são uma instituição com uma personalidade muito própria, que tocam o que lhes apetece, de sludge a doom até drone e j-pop, e não há definitivamente outra banda assim.

Em jeito de revival, a Amplificasom e a Lovers & Lollypops voltam-se a unir para os trazer ao Porto e voltamos a convidar o mesmo designer, o Rodolfo que em 2008 interpretou o evento desta forma. Com eles, os nossos grandes amigos Russian Circles pela terceira vez no Porto (cujo baixista Brian nos encantou igualmente nos saudosos Botch e These Arms Are Snakes) e Saade, um novo projecto da Rep. Checa. Por agora, porque queremos sempre voltar ao sítio onde fomos felizes, algumas fotos desse 26 de Maio de 2008:


Estiveram no barco? Sábado, usando novamente a private-joke-que-já-é-de-todos, concerto do ano. Literalmente. Encontramo-nos por lá!

Comentários

Comentar