Ainda se fala de 2011? Grails

1. Grails – Deep Politics [Temporary Residence]
Opus magnum. Obra-prima indeed. Sem desconfiar do seu talento, este foi O grande trabalho da banda de Portland e a muito se deveu a melhor decisão da sua década de carreira: convidar Timba Harris (Secret Chiefs 3/ Master Musicians of Bukkake) a envolver-se nele. Deep Politics – cujo título e artwork Emil Amos nos explicou aquando do concerto de Om – é uma exploração geográfica de 50 minutos sem receio de mostrar as suas inspirações como Ennio Morricone ou Hugo Montenegro. Uma viagem única, ambiciosa, completamente abrangente e envolvente.

Comentários

Comentar
  1. S.Quartin

    (acho que foi) O primeiro grande álbum que ouvi, e comprei, em 2011 :).

  2. Pedro Nunes

    Confesso que não consegui assimilar este disco como sendo a obra de qualidade que descreves. Pode ser que volte a rodar. Os volumes das “Black Tar Prophecies” são para mim a melhor forma destes tipos. No entanto não conheço todos os discos de longa duração…