Amplificasom 2006-2012 por João Mascarenhas

Conheci os Godflesh mais ou menos em 1992, com o brilhante “Streetcleaner”, num dos periodos mais animados do Heavy Metal em Portugal. O Black Album dos Metallica tinha saído um ano antes e desde então começou a haver cada vez mais concertos dentro do género, o que fazia com que as lojas de discos se interessassem em ter também cada vez mais discos. Apesar de todos os fãs de metal detestarem o dito album dos Metallica, eu incluído, ele acabou por trazer mais vantagens que desvantagens, tirando o metal dum nicho demasiado pequeno e com uma oferta muito menor.

Foi no entanto necessário esperar 19 anos para ver os Godflesh ao vivo, na primeira edição do Amplifest de 2011, coisa que nunca esquecerei e para a qual não terei palavras suficientes de agradecimento à Amplificasom que o organizou.

A Amplificasom anda há anos a trazer ao Porto algumas das melhores bandas dentro de géneros mais pesados que não passam apenas pelo Metal, em concertos isolados em salas mais pequenas.

Com a criação deste festival anual no Hard-Club a Amplificasom amplifica não só a quantidade como também a qualidade das bandas em cartaz.

Este ano, entre outras coisas muito boas como os Bohren & der Club of Gore (que ao que parece dão apenas uns 10 concertos por ano) a Amplificasom traz-nos os muito esperados Godspeed You! Black Emperor, conhecidos e reconhecidos por darem grandes concertos e fazerem discos geniais. Assim foi o que vi em 2003, em Lisboa, da última vez que cá estiveram. Inesquecível.
Quando há uns tempos soube que vinham ao Amplifest nem queria acreditar e confesso que me emocionei a ouvir os discos todos de seguida. Parecia, e ainda parece, demasiado bom para ser verdade.

Isto tudo para dizer esta merda: o Amplifest é daqueles festivais raros e únicos onde podemos ver bandas que de outra forma não víamos, muito dificilmente o conseguíamos e/ou que andamos há anos para ver ou voltar a ver. Não ir, é desperdiçar uma data de oportunidades todas de uma só vez.

Comentários

Comentar