Amplificasom 2006-2012 por Ricardo Remédio

Trago talvez uma perspectiva um ponto diferente da maioria dos seguidores mais assíduos da Amplificasom, talvez até das pessoas que têm contribuído e dado os seus testemunhos e parabéns neste seu sexto aniversário. Não serei a pessoa mais habilitada a falar nas caras familiares e na magia dos concertos da Amplificasom – a distância dos eventos terá uma grande influência neste facto – mas posso dizer que sigo o blog desde o seu inicio e que tem sido uma honra puder ter seguido a sua admirável evolução.

A Amplificasom, e todas as pessoas que passaram por ela, são a prova do que se pode fazer e aonde se pode chegar quando o gosto pela música, a dedicação e o trabalho árduo se juntam.
Podemos agradecer-lhes por Portugal fazer parte, hoje em dia, do rota obrigatória de bandas que nunca pensei ver em Portugal e sinto que, com a ajuda de todos e é convicção minha que Amplificasom pode contribuir para cada vez mais colocar este cantinho da Europa no mapa. Prova disso é o enorme Amplifest. Quantos festivais conhecem que, apenas com duas edições, tenham já uma identidade tão própria e tenham trazido tantos nomes de peso?

Vale a pena também mencionar que a história dos Löbo também está inevitavelmente ligada com a Amplificasom. Foram dos primeiros a mostrar interesse no que estávamos a fazer e a oportunidade que tivemos, com apenas meia dúzia de concertos, em tocar com Wolves in the Throne Room no Porto-Rio, para além de ter sido algo enorme para nós na altura, mostrou-me que para a Amplificasom não bastava só trazer bandas de qualidade a Portugal, mas havia uma vontade de arriscar e de tentar divulgar, e promover, o que se faz também por cá. Posso dizer que foi sem dúvida um dos momentos que nos definiu como banda e foi muito importante sentir esse apoio e ter o reconhecimento por parte de pessoas, que apesar de não conhecermos na altura, víamos como pares e como colegas dentro da música em Portugal.

Por isso e por muito mais, parabéns Amplificasom.

Que mais e melhor ainda esteja para vir.

Comentários

Comentar