And the Oscar goes to… (part II)


Pode-se dizer que o grande vencedor da noite foi o King’s Speech, filme que ainda não vi e portanto me abstenho de comentar. O filme levou para casa quatro prémios importantíssimos: melhor filme, melhor realizador, melhor argumento original e melhor ator principal. Sei que vou ver o filme, vou gostar, mas tenho a certeza que não vou gostar mais do que True Grit ou Black Swan.

Os outros prémios mais relevantes foram para a bela Natalie Portman como melhor atriz, Melissa Leo como atriz secundária e o grande Christian Bale como ator secundário.

As side notes do festival vão para a Anne Hathaway, que acho que esteve muito bem como co-host da gala. James Franco também exalou uma coolness agradável, numa clara tentativa de aproximar a cerimónia de uma audiência mais jovem e mais ligada online.

Trent Raznor leva um óscar para casa, merecido diga-se. Aquele tema do The Social Network vai perdurar de forma tão irritante como o tema do Mansell no Requiem for a dream, que aparece em tudo o que é home made vídeo com cariz emocional ou fantástico no youtube.

Viram a cerimónia? Digam quais os vossos pontos altos, se concordam, etc.

Comentários

Comentar