Antimatter – Leaving Eden [2007]

Duncan Patterson saiu e Mick Moss convidou Danny Cavanagh para contribuir no novo álbum. Os Anathema continuam assim a cruzar-se no percurso dos Antimatter, e desta vez a sonoridade até deve lhes ser mais familiar.
A guitarra acústica continua a desempenhar um papel muito importante por entre as várias passagens atmosféricas dos teclados, mas neste disco é por várias vezes acompanhada pela guitarra eléctrica. É precisamente a guitarra eléctrica que atribui uma dimensão diferente a estas composições e faz com que alguns temas (Leaving Eden, Redemption) me lembrem os Anathema da era Judgement. É o maior apelo rock, que continua a deixar transparecer um sentimento muito melancólico, precisamente como acontece com Anathema. É o denominado dark-rock emocional :-s Está tudo assim no sitio certo, a bateria tem uma presença muito mais constante e não se sente a falta das vozes femininas, tal a transparência da voz de Moss, nem tenho assim nada de propriamente negativo a apontar ao álbum, no entanto, não fiquei imediatamente agarrado a este disco tal como aconteceu com o Planetary Confinement. O que é certo é que com o processo de maturação estou a gostar cada vez mais disto.

Comentários

Comentar
  1. Pedro

    Crest, nunca ouvi nada destes gajos. Os outros discos valem?

  2. Crestfall

    Valem valem, principalmente o Planetary Confinement