As Guitarras do Ângelo: a Jaguar e a Jazzmaster

A guitarra:

Os dois mais famosos modelos offset-waist da Fender, ou: As guitarras com mais coolness de sempre.

Generalidades aborrecidotécnicas:

Corria o ano de 1958 quando um construtor de guitarras e empresário de nome Leo Fender decidiu lançar para o mercado a Fender Jazzmaster com o objectivo declarado de penetrar no nicho dos guitarristas de jazz. A guitarra pouco tinha a ver em termos tímbricos com a sonoridade tipicamente procurada pelos músicos de jazz – embora apresentasse um timbre um pouco mais “quente” do que os modelos Fender até aí concebidos – e os guitarristas não abdicaram das suas archtops em favor da Jazzmaster. Em compensação, e porventura inesperadamente, os músicos do emergente movimento surf rock chamaram-lhe um figo e a eles se deveu o sucesso inicial da Jazzmaster. Em 1962, a Fender deu à luz a Jaguar, um modelo visualmente muito semelhante à Jazzmaster, mas com algumas diferenças como um braço/escala ligeiramente mais curto e pickups semelhantes aos da Stratocaster. Após a malta do surf, ambos os modelos tiveram um novo pico de popularidade nos anos 90 devido a serem a preferência de boa parte dos guitarristas do grunge e do indie da altura – com o destaque óbvio a recair sobre Kurt Cobain.

As especificações técnicas mais comuns destas guitarras:

-Madeiras: Corpo e braço em ácer; escala em rosewood.

– Pickups: Dois single coil do tipo soap bar na Jazzmaster; a Jaguar tradicionalmente vem equipada com dois single coil tradicionais, mas há modelos com humbuckers.

– Ponte flutuante em ambas as guitarras, tipicamente. Existem porém modelos com ponte fixa.

-Controlos: Estas guitarras possuem a particularidade de apresentarem dois circuitos distintos: um de ritmo e um de lead, com controlos de volume e tonalidade separados para cada um deles.

– Preço: Pouco mais de 300€ por um modelo de entrada da Squier; 600-700€ pelos modelos Fender Blacktop (com humbuckers); cerca de 900€ por uma Classic Player; perto de 2000 por uma AVRI (American Vintage Re-Issue).

Onde é que já a ouvimos:

Além do já referido líder dos Nirvana e da sua Jaguar, o Thurston Moore e o Lee Ranaldo dos Sonic Youth são utilizadores indefectíveis das offset (e a Kim Gordon também, quando troca o baixo pela guitarra); outros exemplos dos 90’s vêm de ambos os guitarristas dos My Bloody Valentine – a capa do Loveless é uma imagem esbatida de uma Jazzmaster – e o grande J Mascis dos Dinosaur Jr, que até ganhou recentemente um modelo de assinatura; movendo-se em terrenos mais amplificasónicos destaca-se naturalmente o Takaakira dos Mono e a sua Jazzmaster, mas também as vimos recentemente  nas mãos das Nisennenmondai e dos Enablers.

Até para a semana:

\m/

Comentários

Comentar