Arquivo



Os Heróis e os Métodos – Lord Mantis

Lord Mantis – Death Mask (2014, Profound Lore)

Após um disco mediano em 2012 chamado “Pervertor”, os americanos Lord Mantis voltam à carga com um cavalo de troia de aço, Black Metal e Sludge chamado “Death Mask”. Um trabalho que serve de tareia bem dada para quem, como eu, achava que esta batalha estava mais que perdida.

O grupo apresenta […]

Tema e Variações: E Depois do Adeus

“He knew everything about literature except how to enjoy it.” A frase surge no “Catch-22” do Joseph Heller, mas todos nós conhecemos alguém assim, seja ligado à literatura, ao cinema ou à música. Prosseguindo com a ideia da semana passada, a música enquanto arte requer mais esforço da nossa parte para aproveitarmos tudo o que ela tem para oferecer, mas parece […]

Tema e Variações: 2 Mil Anos Depois Entre Afrodite e Ares

That's just, like, your opinion, man.

Esta rubrica está quase a terminar e ainda não ataquei um tópico que está subentendido em tantas discussões: a música é arte ou entretenimento? Aceitamos que possa ser as duas coisas, embora se repita exaustivamente que “gostos não se discutem”. Se um portista e um benfiquista podem discutir a […]

Tema e Variações: Música do Povo

Com os dois últimos textos despachámos as questões ligadas à música “erudita” e à “world music”. Algures entre essas duas situa-se a música “do povo”. Aqui há mais problemas terminológicos porque, ao passo que música clássica, erudita e literata são sinónimos, música popular e folclórica são coisas diferentes.

O folclore é um termo bastante familiar para nós, até porque a variação na música […]

Tema e Variações: Pela(s) Música(s) do Mundo

Combinando o texto da semana passada acerca de música clássica (ou literata) com a (relativamente) recente notícia do falecimento do Paco de Lucia, tentarei esta semana dar continuidade à problematização de algumas expressões que nos habituámos a usar, por vezes sem as perceber totalmente. Para tal, o texto do Manuel A. Fernandes sobre world music pode servir como mote.

Devo […]

Os Heróis e os Métodos: Haiti

Various Artists – Haiti Direct – Big Band, Mini Jazz & Twoubadou Sounds, 1960-1978 (Strut, 2014)

Após vários dias a ouvir este disco, eis que decidi elevá-lo num pequeno altar, ajoelhei-me e rezei.

O compêndio que é aqui feito, para além de uma dádiva para amantes de música do mundo, traz a um público mais vasto uma realidade sonora […]

Tema e Variações: Música Sem Classe

Escrevi, em 2012, uma série de textos para a Amplificasom, todos eles ligados a compositores do século XX, mas já aí senti um problema que preferi ignorar: usei inúmeras vezes a expressão “música clássica”, sabendo perfeitamente que ela está um pouco errada, mas que isto é uma luta difícil de travar. Já que me voltaram a dar tempo de antena, vou […]

Tema e Variações: Pré-Audições

No primeiro texto deste mês comentei muito brevemente que a gravação de música alterou profundamente a nossa relação com essa arte. Na Grécia Antiga, as 6 grandes artes eram divididas entre as visuais, baseadas no espaço, e as musicais, baseadas no tempo. Durante milénios, essas últimas (música, dança e poesia) estavam circunscritas a um único momento; era possível imitá-las, mas não […]

Tema e Variações: O Caso Babymetal

As Babymetal já existem há uns anos, mas o lançamento do álbum de estreia no fim do mês passado e o marketing bem planeado permitiu o surgimento de um hype enorme. Em pouco mais de uma semana, três dos seus singles viriam a ultrapassar os 2 milhões de visualizações (mais do que qualquer vídeo de Morbid Angel ou de Opeth […]

Tema e Variações: Pianistas Invisíveis

Costumamos pensar no vinil como algo “retro”, embora o formato com as características que actualmente conhecemos tenha aproximadamente a mesma idade que o Michael Gira que por cá passou na Terça-Feira. Quase 100 anos antes do surgimento deste formato, Léon Scott criou em França o fonoautógrafo que, como o nome indica, era um mecanismo automático para escrever (captar) sons, não […]

As Heroínas e os Métodos – Liz Harris (Grouper)

Grouper – The Man Who Died in His Boat

No filme Gravity, a eminência da morte revela-se como uma viagem no vazio com a melhor vista que algum sonho pode acalentar. O ser humano tão frágil e ao mesmo tempo tão deus. A solidão e o medo apresentam-se como garantias de coragem e sobrevivência. Em Gravity […]

Tema e Variações: Digital e tal

Na semana passada, após um texto sobre o vinil, recebi uma resposta que me motivou a estender a discussão ao digital. A gravação de um vinil pode ser feita de forma inteiramente analógica (processos eléctricos são diferentes de processos digitais), mas o processo de gravação de um CD, embora tenha algumas semelhanças com o do vinil, já se serve de informação […]

Tema e Variações: Discossões

Há muitas pessoas que só compram vinil e que insistem que esse é o melhor formato. O interessante sobre esta discussão é que deixou de ser apenas vinil vs. CD, mas também vinil vs. digital, não tendo isto afectado muito os argumentos habituais dos apologistas do vinil:

“O vinil soa melhor”: há quem chegue a esta conclusão com base nos discos de […]

La Mutazione New Wave Italiana

When I was fifteen, sixteen, when I really started to play the guitar, I definitely wanted to become a musician. It was almost impossible because the dream was so big. I didn’t see any chance because I was living in a little town; I was studying and when I finally broke away from school and became a musician, I thought, “Well, now I may have a little bit of a chance.” Because all I really wanted to do is music – and not only play music, but compose music.
At that […]

Os Heróis e os Métodos – Wolves in the Throne Room

Wolves In The Throne Room – BBC Session 2011 Anno Domini (Southern Lord, 2013)

Enquanto dou os retoques finais neste texto sobre uma banda de Black Metal, vou ouvindo o samba de Bezerra da Silva. Estranho? Sim, no fundo é uma espécie de patologia Peeliana. Descoberta e imortalizada pelo John Peel, o mentor, o desbravador de fronteiras sonoras, basta […]

Tema e Variações: Compre Som

Que há mais pirataria hoje em dia, já todos sabemos. Que a indústria está a mudar, idem aspas. Mas há ainda muita gente a comprar música, e esta não precisa de ser uma prática irreflectida. Habitualmente espero uns largos meses antes de comprar algo, para determinar se estou só a ir atrás de um hype ou se o álbum tem de […]

Os Heróis e os Métodos #4

Holden – The Inheritors (2013, Border Community)

James Holden conseguiu em “The Inheritors” uma mistura desafiante de música electro-acústica. Por um lado ouvem-se sons familiares e “palpáveis” ao ouvido como samples de metais, vozes, trechos jazz, o aço das cordas da guitarra, por outro lado, há nesta eletrónica um pulsar exploratório, sons sintetizados que adquirem a […]

Tema e Variações: Compressom

Se nos fosse imposta a escolha entre ficarmos surdos ou cegos, a maior parte das pessoas optaria pela surdez. O motivo é simples: a visão é o sentido mais fundamental para a vida em sociedade, para a nossa orientação, até para a realização das tarefas mais básicas. Mas curiosamente, para além de raramente pensarmos na culinária ou na criação de perfumes […]

Dal beat al progressivo

Na semana passada, introduzi-vos a um tema especial que me é bastante íntimo por circunstâncias da vida. Passados três meses em Itália, o meu entusiasmo pela cultura musical deste país concentrou toda a minha atenção, à medida que abandonava a zona de conforto do previamente apreendido e me surpreendia com os mais ínfimos recônditos da vertigem cultural, em quase cinco década de história fonográfica. Com a lição dos Daft Punk podemos concluir que a maior parte das referências quotidianas que vimos promulgadas pelas centrais económicas da indústria, podem sempre partir […]

Os Heróis e os Métodos #3

Josephine Foster – I’m a Dreamer
Nos início dos anos 80, Loren MazzaCane Connors, antes de enveredar pela música improvisada, andava a explorar a Folk e fez-se acompanhar em vários discos pela voz de Kath Bloom – para muitos uma junção estranha, porque Kath tinha um registo frágil, estridente e quase infantil. Um tom distinto de grandes […]

Tema e Variações: Piiiiiii

Na semana passada falei de percursos musicais, hoje aproveito e falo de percursos auditivos. Mais tarde voltaremos à questão das bandas “boas” e “más”. Se o tom de hoje for um bocado professoral, há um motivo simples: quanto mais óbvio for o texto, mais probabilidades de ele ser compreendido por todos.

Toda a gente sabe que alguns estilos são mais dados […]

LASCIATEMI CANTARE!

É comum ouvir em fóruns e certos espaços de discussão que países como França, Itália ou Espanha quer pela sua estratégia de marketing como pelo baixo consumo do seu mercado actual, não tiveram um grande contributo para a música que se ouve hoje em dia. Pregando atestados de menoridade, muitas vezes por pura ignorância, a uma larga franja de actividade musical e […]

Os Heróis e os Métodos #2

Fire! Orchestra: Exit! (2013, Rune Grammofon)

Em relação aos últimos meses, alguns discos afirmaram-se como desafiantes, ambiciosos e em alguns casos extremamente bem sucedidos – falei na semana passada no trabalho de Matana Roberts, hoje é a vez dos Fire! em formato mastodôntico.

The Thing, Tape, The Ex, Tresspass Trio (que têm um disco interessante gravado com Joe McPhee […]

Tema e Variações: Guilty Pleasures

De Bach a Zeca Afonso, de Madredeus a Eminem, de Linkin Park a Metallica, de Opeth a Dead Can Dance, de Bohren a Arvo Pärt (e de Arvo Pärt a Bach)

Só muito recentemente é que me apercebi que o meu percurso musical foi tão incomum quanto natural. Quer queiramos quer não, todos […]

World Music

O tema de que vos falo hoje constituiu sempre uma fonte inesgotável de pérolas musicais fora do status quo. Um filão consistente de propostas inclusivas apartadas por uma visão enviesada e tendencialmente ocidental da música que consumimos. À margem dos veículos de transmissão convencionais, das prioridades da indústria e da rede de contactos estabelecidos. Na semana passada, encetei esta minha coluna mensal na Amplificasom com uma discussão sustentada pelas designações de género e estilo que associamos à música. Que melhor maneira de lhe dar seguimento com uma reflexão sobre […]

Os Heróis e os Métodos #1

Ainda na ressaca de 2013, num palco onde a crise se instalou, posso afirmar que a festa não foi das melhores e por isso espero que este ano tenhamos todos força para lutar contra esta enorme dor de cabeça a que posso chamar de paródia política.

Em relação aos discos que tenho ouvido mais frequentemente, começo por destacar o […]

Tema e Variações

Theme and variations: a standard form of musical composition consisting of a simple melody presented first in its original form, then repeated several or many times with varied treatment so based on the theme that at least some semblance of its general form is evident

É impossível recusar um convite para o blog da Amplificasom, não por eles serem uns tipos porreiros, mas porque precisam claramente de ajuda. Senão vejamos:

Ser do Norte não é desculpa para não se saber escrever “Amplificação”; Passar noites sem dormir para agendar concertos de […]

Géneros & Etiquetas

Quando há um ano atrás, aproximadamente, me envolvi numa troca de argumentos cibernéticos com o autor deste blog sobre a categorização musical vigente, estava longe de imaginar que iria discorrer livremente algumas palavras a convite do mesmo. O tema era quente e fazia total sentido pela ambigenia e voracidade de como se consome e digere música nos dias que correm. Volvidos alguns meses e depois de uma longa reflexão sobre o assunto, decidi desenvolver essa mesma narrativa que servirá como ponto introdutório desta agenda a cinco movimentos com a Amplificasom, […]

O Lado Negro do Ritmo

Em relação aos vários discos que tenho ouvido nas últimas semanas, fui reparando em algumas edições de qualidade que têm em comum o risco de querer descobrir novos territórios dentro do largo espectro da música electrónica  (isto sem contar com o excelente trabalho dos Boards of Canada que optei por não escrever sobre ele).

 

Tom Zé

Tom Zé – Grande Liquidação (1968, Rozenblit)

Tom Zé é sem dúvida um dos meus músicos preferidos e sei perfeitamente que qualquer tentativa de escrever sobre o seu génio pode facilmente não lhe fazer justiça. Para facilitar a ruminação no assunto, escolhi para este texto o primeiro disco homónimo de 1968, reeditado também como “Grande Liquidação”.
Tom Zé é um mestre da palavra, ler os textos das suas músicas é seguir pela história do Brasil, […]

Oneness of Juju

Oneness of Juju – African Rhythms (2002, Strut*)

Começando pelo título do disco, não faltam aqui ritmos africanos, assim como muito groove funk e devaneios jazz. Também estamos perante um trabalho bastante politizado, mas confesso que o espectro sonoro é de tal forma rico que acabo por me distrair de algumas letras. A viagem é impulsionada pelo saxofonista James Plunky Branch que distanciou-se aqui do grupo […]

Fabio Orsi / My Cat Is an Alien

Fabio Orsi / My Cat Is an Alien  – For Alan Lomax (2006, A Silent Place)

Este disco partilhado por Fabio Orsi e os irmãos Roberto e Maurizio que constituem o projeto My Cat Is an Alien é dedicado a Alan Lomax, um “coletor” sonoro, que ajudou a enriquecer aquilo que hoje é conhecido ao nível da música Folk entre outros sons e paragens.
No diz respeito […]

Vinicius/Caymmi

Vinicius/Caymmi – No Zum Zum com o Quarteto em Cy e o Conjunto Oscar Castro Neves

Os primeiros elementos que se destacam deste disco é a capa, impressa com as cores preto/branco/vermelho que se tornaram imagem de marca de muitos clássicos da Bossa Nova com o selo da editora Elenco (que editou de Powell a Nara Leão, de Edu Lobo a Astrud Gilberto entre muitos outros). Aqui temos o mestre Vinicius de Moraes ao leme das […]

Os Heróis e os Métodos #002

O Verão parece ter um efeito alucinogéno nas pessoas, de repente vivemos num país onde tudo acontece, quase tudo é permitido e o mínimo que se exige é bom tempo. Na cidade onde vivo actualmente, Figueira da Foz, que por estes dias é uma espécie de Ibiza, cheguei a ver um camião a passear por toda a cidade com um tigre enfiado numa jaula, como um objecto de orgulho para todos verem, enquanto eram distribuídos papeis para um espectáculo de […]

Os Heróis e os Métodos #001

Decidi desenterrar os “Heróis e os Métodos” e dar-lhe um formato que me permita postar com mais frequência, algo que nem sempre é possível quando estou limitado à crítica de discos. Há rodelas de música que me ficam com meses de audições, outras até me pedem para não falar delas, para sentir apenas em segredo… Com isto tudo o tempo passa, e sem deadlines do jornalismo musical, acaba-se muitas vezes pela escuta solitária.
Antes de deixar a primeira lista […]

Compram mp3?

Até há pouco menos de um ano eu teria respondido que não e argumentado com “o mp3 não tem valor, prefiro guardar esse dinheiro e esperar para poder comprar o álbum/cassete/LP”. A verdade é que nos últimos meses comecei a ouvir muito mais música através do bandcamp (ou a-melhor-invenção-dos-últimos-tempos) e a wishlist mental de álbuns a comprar directamente às bandas e (pequenas) editoras aumentou exponencialmente – mas não há dinheiro para tudo, principalmente para os portes de envio! Ao fim de alguns meses a repetir o mesmo argumento para mim […]

Sons da Semana: Eduardo Gudin, John Foxx, Clutch, The Sunburned Hand of The Man, Sound Ecology e Air Texture

eduardo_gudin

Eduardo Gudin, Paulo César Pinheiro e Márcia – O Importante É que a Nossa Emoção Sobreviva (1975, Odeon)
Paulo César Pinheiro escreveu algumas das letras mais bonitas da música brasileira, servindo nomes como Elis Regina, Chico Buarque ou Vinicius de Moraes. Apesar da sua existência artística ter quase unicamente morado nas letras, felizmente ainda gravou alguns sons para as acompanhar. Neste “Importante…” é feito o registo do melhor de duas noites ao vivo, concertos mágicos, onde o samba é tratado com emoção e balanço. A secção […]

The Last Waltz (1978), de Martin Scorsese

The Last Waltz narra o último concerto do grupo altamente influente e versátil, The Band, em San Francisco, em 1976. Talvez, hoje, seja mais famoso entre os fãs do cinema por ser um documentário de Martin Scorsese (Taxi Driver, O Rei da Comédia), do que é para a própria banda, mas uma vez que o filme começa, é provável que esqueçamos rapidamente o realizador e nos emocionemos com o som de uma das principais bandas ao vivo dos anos 70. Nem sequer temos de nos estar familiarizados com a banda […]

YRSEL & Chicaloyoh

Abraxas is the sun, and at the same time the eternally sucking gorge of the void, the belittling and dismembering devil. (The Seven Sermons to the Dead)

Abraxas, o sucessor de Sacrifice e Requiem for the three kharites (ambos lançados em 2010 pela Aurora Borealis), ainda não saiu oficialmente, mas já pode […]

Sid and Nancy (1986), de Alex Cox

“Sid e Nancy” conta a história verídica de um relacionamento muito estranho, pateticamente infeliz e terrivelmente desastroso de dois indivíduos terrivelmente auto-destrutivos. Vagamente baseado no caso de amor volátil do baixista dos The Sex Pistols, Sid Vicious e a sua groupie americana, Nancy Spungen, o filme começa como qualquer outro romance de conto de fadas – o rapaz conhece a rapariga, as diferenças mantêm-nos separados, mas depressa eles se unem para viver felizes para sempre. Só que esta história começa com uma nota sombria e ficando progressivamente pior. A felicidade […]

Sons da Semana: Azymuth; Ash Borer; Dalva de Oliveira; Pan Sonic; Machinefabriek; Cyro Monteiro

null
Azymuth – Águia Não Come Mosca (1977, Atlantic)
Este disco foi gravado em 1972 por um dos melhores grupos de música progressiva brasileira. Num país que a nível musical tem/teve quase uma palete completa de sons, outros nomes tornaram-se relevantes no chamado “prog” mais melódico, como por exemplo, Guilherme Arantes, Bacamarte, Boca Livre, A Bolha, Moto Perpétuo ou até os Novos Baianos, entre muitos outros. O estrutura deste trabalho acaba por ser o Jazz de Fusão, pautado por ambientes de outras galáxias, muito por […]

Pink Floyd – The Wall (1982), de Alan Parker

Além de serem uma das maiores bandas de todos os tempos, os Pink Floyd são facilmente uma das bandas mais versáteis que já abalaram a face da Terra. Enquanto isto certamente que se aplica à sua música (“progressiva” e “rock psicodélico” são descrições quase completas), a versatilidade dos Pink Floyd vai muito além da excelente música que já tocaram ao longo das décadas.
Quase sinónimo do nome Pink Floyd, “The Wall” nasceu a partir de uma idéia de um álbum conceptual operático. No final de 1979, lançaram o duplo […]

À Volta da Meia-Noite (1986), de Bertrand Tavernier

Dexter Gordon é o homem. Mesmo no final dos anos 60, quando grandes músicos como John Coltrane ou Miles Davis foram empurrando os limites do jazz com um exprimentalismo dissonante, Gordon foi encantando outros músicos com os seus velhos hábitos de escola. Superficialmente, o seu estilo é lírico e simples, mas tudo é uma questão de gosto. Muitos músicos podem ser capazes de imitar algum dos seus grandes solos, nota por nota, mas nunca teriam a inspiração para escolher as notas que ele escolheu, tudo por conta própria, para depois […]

Sons da Semana: The Sound of Philadelphia; Annette Peacock; Kath Bloom and Loren Mazzacane; Black Lips; Candeia

sound
The Sound of Philadelphia – Funk, Soul & the Roots of Disco 1965-73 – Philadelphia Roots Volume 2 (2004, Soul Jazz)
Excelente compilação da Soul Jazz que reúne alguns dos melhores exemplares do chamado “Philly Sound” do início dos anos 70. Praticamente todas as músicas são excelentes, cheias de ritmos Funk, groove que apela à dança (ou passos em direcção à Disco), Soul, secções instrumentais coesas e arranjos com um corte fino e charmoso como já é raro encontrar.  Dado o […]

Elvis (1979), de John Carpenter

Um filme para TV baseado na vida de Elvis Presley parece ser um pouco redundante. Os fãs parecem já saber tudo sobre ele e a sua vida tem sido dissecada desde a sua morte prematura em 1977. Mas este filme foi lançado em 1979. Os detalhes da vida de Elvis Presley podem ter sido conhecidos por muitos, mas ainda havia um certo elemento de mistério sobre o homem, uma mistura de factos com anedotas e lendas.
O filme começa com Elvis (brilhantemente interpretado por Kurt Russell) à espera de […]

Sons da Semana: Moritz von Oswald Trio, Rancid, Islaja, Kevin Ayers, John Cale, Brian Eno e Nico

Os últimos dias têm sido preenchidos com muita música, mesmo nas horas em que escasseia o tempo para escrever algo sobre as mesmas.

moritz
Uma das rodelas que merece referência é Live In New York (2010, Honest Jon’s) de Moritz von Oswald Trio. Composições de Techno Minimalista esticadas ao ponto de nos induzir num quase-transe. Quando ouço esta música lembro-me sempre do clássico de Manuel Göttsching, E2-E4 (1984), pela escolha dos sons que se vão enquadrando numa matriz de ritmos e repetições. Aqui tentam-se criar códigos através de […]

Gimme Shelter (1970), dos irmãos Maysles e Charlotte Zwerin

Gimme Shelter dos irmãos Maysles, documenta a tour dos Rolling Stones em 1969 pela américa, mais precisamente no concerto das colinas de Altamont Speedway a oeste de San Francisco. O concerto degenerou em caos quando os Hell `s Angels, viciados pelo alcool, contratados para manter a ordem na frente do palco, descarregaram o seu ódio batendo nos espectadores. A violência de Altamont foi marcada pelo homicídio de um jovem negro, Meredith Hunter. Captado no filme, o homícidio de Hunter consolidou a reputação do festival, como o fim oficial da contracultura […]

The Harder They Come (1972), de Perry Henzell

Com o sonho de se tornar num cantor Reggae de sucesso, um jovem jamaicano encontra a corrupção nos produtores dos seus discos e nos traficantes de droga que a ele estão associados. Em vez de desistir dos seus sonhos, Ivan não permite que nada se meta no seu caminho, nem mesmo a lei.
“The Harder They Come” é famoso pela sua brilhante banda-sonora (o primeiro disco reggae de sucesso nos Estados Unidos), por ser o “primeiro” filme jamaicano, e por ser um popular filme das sessões da meia-noite, ao […]

Da literatura ao writer’s block

Ontem, estive a reler – hábito anual, desde 2007 – um dos livros que mais me marcou em 25 anos de existência: A Nossa Necessidade de Consolo é Impossível de Satisfazer, de Stig Dagerman. Não deixa de ser admirável aquilo que pouco mais do que 30 páginas consegue transmitir. Por exemplo, a memória. Sim, a memória e uma evidente assertividade que, em certas alturas, mais parece um corta-e-cola do estado de espírito pessoal.

2