Arquivo



Nº2

Eis que finalmente aparece o primeiro álbum do ano digno de registo no espetro modern classic. Para quem já conhece o Nº1 da Christina Vantzou, este novo capítulo apresenta-se mais coeso, denso e maduro.

A Christina para além de compor também se mexe no meio criativo de vídeo e animação, e este primeiro vídeo oficial que espelha claramente a influência dos melhores momentos deAntichrist & Melancholia de Lars Von Trier.

Esta coisa de mostrar sensibilidade tem muito que se lhe diga. Não sei se já trabalharam com bandas, mas existe uma tendência notável para a mesma nódoa no mesmo pano em contextos aproximados. Design é portanto uma palavra que não ligava muito bem com os metais pesados por significar experimentar e ir além do que é aceite com badass/gothic/evil.

Felizmente recentemente tenho visto uma nova frente de combate em bandas novas onde o experimentar não custa (seja no esforç,o seja na fatura a pagar) onde […]

Palavras

Quando no fim da década de 80 eu andava a consumir Manowar um primo meu, pouco impressionado, passou-me o The Wall com um “ouve isto que é bem melhor”. É um facto que o é (bem melhor) e tudo o que ouvi nesse álbum tem servido, quase 25 anos depois, para perceber o quanto esse trabalho em particular me influenciou e a uma quantidade infinita de músicos que vão espalhando a semente no que fazem.

Foi lá que pela primeira vez notei no impacto que a voz falada sob a […]

Fire! Orchestra

Mats Gustafsson é daqueles tipos que grava mais do que dorme e perde alguns ouvintes que se fartam só de ouvir o nome, mas isto merece muito carinho. Não é o típico free jazz impenetrável que afasta quem acha que é masturbação musical, está sim no espectro dos lançamentos que nos fazem prestar atenção a algo que temos ignorado por ser duro de roer e que se calhar devemos insistir.

Gravado ao vivo com a voz e bateria dos Wildbirds & Peacedrums este lançamento assume-se […]

Colin Stetson

Sou um gajo que resiste um pouco a ouvir as bandas que são aclamadas em massa, é efeito secundário de quem normalmente colecciona lados B e devaneios mais experimentais. Confesso portanto que não conheço a discografia de Arcade Fire, mas sou um fã assumido de Colin Stetson que assume na banda o papel de saxofonista em tour.

A minha porta de entrada no universo do Stetson foi através dos Bell Orchestre e do enorme The Stars In His Head / Bernard 33 / Dark Lights. Como quase todas as minhas […]

É bom amplificar novamente por aqui.

Eu diria que é mesmo muito bom. Quase 3 anos após o tópico final na minha estreia por estes lados, esta foi a semente para os meus canais no Youtube & Youtube2 e posterior blog Collectables onde coloco desde então tudo o que me parece valer a pena colecionar ou que não existe pelas internets.

Após quase 4 milhões de visualizações, espero aqui fazer um apanhado do que mais fundamental passou por esses espaços e tudo o resto que possa valer a […]