Ben manipulator Frost

Segunda-feira, chuva, trânsito impossível, preciso de me perder nos confins do inóspito universo de By the throat, o trabalho que sofra.
Isto é material para ser, impreterivelmente, escutado com phones. Igualmente cinematográficas e ricas em contrastes, as composições ambientais de Frost estão mais perturbadoras e viscerais do que nunca. Theory of the Machines contem espaços de refúgio nas zonas de conforto dominadas pela melancolia das pulsações minimais, substancialmente a salvo do noise que é descarregado em ondas de distorção, há uma beleza que é palpável. Já By the Throat oferece uma sensação de desconforto superior. Apesar da beleza intrínseca que também possui, as variações abruptas na forma e volume transmitem uma sensação fria, de ambiente inóspito, que apesar de inquietante perpétua um indescritível poder de atracção. A música de Ben Frost sente-se.

Comentários

Comentar
  1. Adriano

    FINALMENTE ;-)

    Deixei rastos deste sr. e álbum por todos os tópicos e caixas de paleio por aqui desde que o cd saiu :-)

    Conheci o Sr. Frost no dia 5 de Novembro com o Mico Muhly que é que é responsável por alguns arranjos neste CD. Pessoal impecável :)

    BTW o concerto no Maria Matos foi um dos pontos altos do ano, assim como o álbum. Verdadeiramente supremo.

    Edição de Vinil a sair mt em breve, pre-orders aqui: http://www.boomkat.com/item.cfm?id=229106

  2. José

    E o grande concerto dele no ano passado em Serralves, por ocasião do festival trama???

  3. ::Andre::

    O primeiro tema m/

    Não gosto do álbum todo, há coisas que não me entram bem, mas no geral concordo contigo.

  4. Crestfall

    Mas há algum aspecto em particular que te desagrade? A Killshot é mesmo m/ é. E a the glass of the roof aleija!