Between The Buried And Me – Colors [2007]

Cores. Várias cores. Muitas cores. Imensas cores. O Arco-íris. A música. Muitas influências. Imensas ideias.

Que abuso é esta confluência de estilos que os BTBAM apresentam em Colors! O gosto pela prog(ressão) é conhecido, e cada novo álbum tem evidenciado um aprimorar da técnica e um alargamento de perspectiva pela diversidade. Mas acho que Colors vai até mais longe do que o esperado. Tem um bocado de tudo. É imaginar umas 50 bandas de diferentes linhagens, desde os Beatles até aos Necrophagist, juntas em estúdio a tentarem chegar a um consenso sobre a forma musical de um disco tributo aos Pink Floyd. Deve ter sido divertido.
A abrangência começa na família metal, ao carregar no grind abrasivo, no hardcore incisivo, nas cavalgadas thrash, no power épico, no death melódico e brutal, andando às cambalhotas pelo prog-rock, pop, jazz, fusão, e revelando interlúdios country, com ritmos tribais, da europa de leste e do médio oriente, mr. bunglianos, cabaret… Há alguns que, principalmente nas primeiras audições, até aparentam estar ali meio a despropósito e poderiam ser dispensados, mas também não são nada de desmesurado e servem de comprovativo à loucura criativa. Apesar de o disco estar dividido em 8 temas, a melhor maneira de o abordar é considera-lo como um todo. É verdade que os mais longos [ultrapassam todos os 10 minutos] foram os que mais me impressionaram, Sun of nothing, Ants of the sky e White walls são composições arrojadas e peças singulares, só que não têm uma estrutura de canção ou música tradicional, são harmonizadas por tantas nuances internas como se de uma colagem de vários temas se tratasse. O mesmo acontecendo com a totalidade dos 65 minutos de música, o resultado da junção dos pequenos trechos multidimensionais que se integram de uma maneira extraordinária. Aliás, todas as músicas se prolongam pela seguinta, formando um bloco que consegue ser simultaneamente complexo e simples, violento e pacífico, dissonante e melódico, feio e bonito. Um Arco-íris resplandecente, sem dúvida.

Comentários

Comentar
  1. ::Andre::

    mmmmm…arco-íris…mmmm…cores…mmmm…”between the buried and me”…mmmm…

  2. naSum

    até que enfim concentras-te neste grande álbum =). a figurar nos melhores do ano para mim :) de álbum para álbum só me surpreendem, sempre diferentes. boa review

    experimenta andre =)