Big Business – Here Come The Waterworks [2007]

Depois de no ano passado se terem somado aos 2 Melvins para revitalizarem a secção rítmica no último disco destes, os Big Business estão de regresso com o 2º álbum de originais e continuam a levar tudo à sua frente.
Aquilo que eles representam, ficou escrito no álbum de estreia, Head for the shallow. Que ninguém se equivoque sobre as pretensões destes senhores, eles não querem inventar nada! O que não implica que sejam monocórdicos, formulaicos ou copistas.
Os power duos são não espécie em vias de extinção, mas também não andam por aí aos magotes, e nem encontro algum que ande a fazer exactamente o mesmo – Os DFA’79 tinham uma inclinação mais pop e já passaram à história, os Om são bem mais droners stoners, enquanto que os Lightning Bolt são noisers insanos demais para serem copiados -. E, tal como esses notáveis da paridade instrumental, com “apenas” um baixo e uma bateria, e a ajuda da cantoria de Jared Warren que se assemelha a um cruzamento entre Lemmy e Jaz Coleman, conseguem elevar as ondas de intensidade a níveis com que formações com o dobro ou o triplo de elementos apenas conseguem sonhar.
Durante as primeiras 4 músicas a fúria é imparável, não em termos de agressividade, mas de pura energia e vibrações rock & raw. Os pedais de efeito fazem, por vezes, o baixo parecer uma guitarra e engordam o som, enquanto a bateria joga com constantes mutações rítmicas. Em Grounds for divorce é particularmente viciante. Os dois últimos temas são surpreendentemente longos e psicadélicos. Uma melancolia sludge que contrapõem na perfeição a cavalgada inicial.

Comentários

Comentar
  1. Crestfall

    Pois tens!

    Oh mel, tu curtes é ouvir isto na biatura! É isto e Kyuss :-D

  2. Melancolia

    :D Na biatura poeirenta, com o sol a dar, raibantes postos e sem rumo!

  3. ::Andre::

    Pfff, que poeta… mas conduzir ao som de Kyuss é do carvalho oo/