CAVEIRA hoje no Porto!

Acaba hoje a mensalidade Mana no Mercedes. Acabará em grande! Durante 2012 apoiamos esta louvável iniciativa que viu nomes como David Maranha, Patrícia Machás, Rafael Toral e Gustavo Costa pisarem o palco histórico da Ribeira.

Os CAVEIRA são um dos meus projectos preferidos, ansiava esta reunião-que-não-é-reunião-mas-sim-uma-progressão há algum tempo. E o J. Marmeleira explica porque é imperdível:

Os CAVEIRA. Grande banda portuguesa que até 2010 foi um tumulto, um assalto informe ao edifício devoluto do rock. Poucos ousavam e ousaram competir com as suas guitarras (Rita Vozone e Pedro Gomes) e bateria (Joaquim Albergaria). Só nomes estranhos (Gravitar, Juneau) ou primitivos (Blue Cheer) lhes foram comparáveis.

Quando surgiram em Lisboa no ano de 2005, assistia-se a uma revitalização do power-trio e a um novo cruzamento das energias do jazz, do rock e do noise. E os seus efeitos foram ouvidos numa série de grupos e projectos nacionais que se libertavam dos formatos tradicionais e dos clichés da história da pop para enfatizarem a produção musical como um devir.

Ao vivo, em estúdio ou em disco, os CAVEIRA estiveram sempre na dianteira desse novo “movimento”, infundindo-lhe substância, volume e expressão – basta recordar o magnífico cd-r “Africa” ou os incríveis concertos na Caixa Económica Operária, no Lux ou na ZDB. E nem a transformação forçada num duo, com a saída da Rita Vozone, veio interromper a vida da banda, pelo menos até Abril de 2010. Nesse mês, Pedro Gomes e Joaquim Albergaria decidiram seguir ramos distintos e a fúria dos CAVEIRA calou-se… para regressar hoje numa nova e intrigante encarnação. Ao lado de Pedro Gomes (guitarra), vão estar André Abel (ex-Aquaparque, Tropa Macaca, na guitarra) e Gabriel Ferrandini (RED Trio, Rodrigo Amado, Nobuyasu Furuya, ACRE, além de manter duos com Pedro Sousa e David Maranha).

A nova formação, a julgar pelos recém-chegados membros, promete sonoridades e ritmos diferentes daqueles a que os antigos CAVEIRA nos habituaram. Mas na essência, o tumulto, com outros timbres, texturas e vozes, continuará a ser o mesmo.

Amplificasom recomenda e apoia:
CAVEIRA
O Meu Mercedes, Porto (Ribeira)
HOJE, 23h30
5€

Comentários

Comentar