Comentários

Comentar
  1. mute_suds

    É uma lista interessante e extensa mas, na minha opinião, faltam alguns discos “importantes” e interessantes; e estão incluídos alguns que eu não contaria.

    E acima de tudo, não se veja aquilo como um top (ou seja, o número 1 não quer dizer que seja o melhor).

    Também em jeito de publicidade veja-se que a grande maioria dos discos listados estão disponíveis através da esquilo em Portugal (e também está listado um disco editado pela esquilo: [N:Q] – November Quebec, no número 17 para referência).

    E ainda que muitos dos músicos listados estiveram no Dínamo – Festival de Música Exploratória (diria mesmo que todos os músicos que estiveram presentes no festival aparecem pelo menos uma vez na lista)!!!

  2. mute_suds

    E o estilo tem nome em português: improvisação electroacústica.

  3. mute_suds

    E ainda, a página da wikipedia sobre o assunto é mesmo muito má!!!

  4. André Forte

    só pelo nome da coisa, eu armava-me em cowboy e pensava que bandas como jackie-o motherfucker estavam lá no meio… mas algo me diz que estou redondamente enganado :P

    tenho de ver essas coisas ^^

  5. Pedro Nunes

    mute_suds, podes sugerir esses discos “importantes” e interessantes. A lista tem apenas algumas coordenadas, não me parece que seja um top. Também reparei que alguns trabalhos estavam disponíveis através da Esquilo.

    Agradeço a correcção, mas obviamente que sei que o estilo tem um nome em português. Simplesmente apeteceu-me colocar em Inglês.

    Não sou nenhum expert no assunto, não sei o quanto a informação disponível na wikipédia tem qualidade… Se quiseres podes deixar alguns sites, para todos aqueles que se queiram informar melhor sobre o estilo.

    andré, também ainda ando a descobrir alguns dos nomes inseridos neste género musical. de qualquer forma, Jackie-O Motherfucker não inseriria aqui. Pelo menos os discos que conheço.

  6. mute_suds

    A começar pelos sites. Não há quase nada – pouca atenção recebe este tipo de música. Dois sites que recomendaria:

    http://www.bagatellen.com/ com críticas a discos e entrevistas e etc (se bem que para além da chamada EAI, englobe outros géneros, que por vezes têm mais destaque, mais ou menos próximos como EFI ou free jazz). Esteve parado durante alguns meses e agora voltou ao activo, mas penso que alguns dos principais contribuintes ainda se encontram em “sabática”.

    http://www.paristransatlantic.com/magazine/main/home.html também para críticas de discos, concertos, entrevistas e mais algumas coisas. Acabou mais ou menos oficialmente no final do ano passado, mas o arquivo completo ainda está disponível e tem muita coisa mesmo interessante.

    Mais sobre o resto depois.

  7. João

    mute conheces o meu blog? : ) tem lá coisas que te iam intressar certamente.

    nunes:
    um pouco off-topic e agora que parece ser o menino bonito , encontrei já não sei onde, uma lista de discos sobre a historia do drone. vou tentar encontrar. é uma lista muito completa até a data. depois mando-te

    quanto a lista em si, estao ai uns que nao conheço, uns geniais, e falta algumas coisas. mas num todo está intressante.

  8. André Forte

    mal comecei a procurar percebi isso ^^

    falei por pura ignorancia no assunto. como nunca me tinha dado ao trabalho de “etiquetar” jackie-o nem me tinha cruzado com este género antes, assim de repente pareceu-me algo que se pudesse juntar. redondamente enganado, aiai…

  9. mute_suds

    E ainda em relação à questão da designação, note-se que mesmo o muito mau artigo da wikipedia menciona o facto de o nome não ser consensual e existirem várias definições alternativas – umas mais ou menos abrangentes outras mais ou menos ridículas.

    Mas a reter deve ficar que esta designação engloba mesmo muitos micro-estilos e movimentos (alguns dos quais se menciona no artigo da wikipedia como o lowercase o berlin reductionism, o new london silence, o onkyo, etc) e ainda outras músicas que dificilmente são classificáveis. E mesmo dentro deste micro-estilos a ligação a um estilo definido não é consensual existindo simultaneamente diversas abordagens (mesmo no espectro sónico pode ir do noise total ao silência ultra-minimal), muitas vezes contraditórias.

    Saliente-se ainda que o próprio nome indica “improvisação”, mas muita da música incluída neste estilo é composta, ou mistura elementos de composição e de improvisação. E apesar de se intitular também “electroacústica” é por vezes totalmente acústica ou totalmente electrónica.

    Foi desta indefinição e abrangência, por vezes contraditória, que nasceu a designação TAOMUD (the area of music under discussion – também mencionada no artigo da wikipedia). Na minha opinião esta designação é ridícula e não ajuda ninguém, mas mostra bem o carácter de confusão, mesmo para os interessados, em classificar esta música.

  10. mute_suds

    Outra fonte interessante de discussão e notícias ligadas à EIA é o fórum: http://ihatemusic.noquam.com/ o qual recomendo vivamente. Para mim é o fórum de música mais interessante – se por um lado está mais ligado à EIA e improvisação; por outro lado também há forte presença do noise e free-rock / free-folk, etc.

  11. mute_suds

    E nesse mesmo fórum há um thread (que é a revitalização de um thread antigo) que se chama: "New Newbie Guide to EAI" – http://ihatemusic.noquam.com/viewtopic.php?f=3&t=28 – e que foi construído com o intuito de fornecer uma lista essencial dos discos para alguém que pretenda iniciar-se na exploração deste campo musical. Contudo, cada membro do fórum foi adicionando as suas preferências pessoais à lista, ao longo dos vários posts – isto trouxe uma maior diversidade à lista (e como foi feito por vários membros é sem dúvida mais abrangente e menos fica de fora).

    Claro que há sempre tendências e há sempre discos que ficam de fora e que deveriam aparecer – mas se alguém já tiver tempo para descobrir todos os listados ou propostos já tem uma larga tarefa pela sua frente.

  12. Pedro Nunes

    mute, obrigado pelos sites. De facto quando pesquisei informação sobre alguns dos discos, aparecia quase sempre reviews do bagatellen. Estarei atento.

    Compreendo a crítica que fazes à info disponível na wiki. Pode ser que um dia alguém queira melhorar aquilo.

    Gostava de ler mais sobre esses micro-estilos que falas. Talvez um dia destes faça umas pesquisas.

    Obrigado pelas referências que deixaste.

    joão, essa lista seria bem vinda certamente.

    andré, também não sou expert no assunto. Felizmente que temos pessoas como o mute e o joão que nos poderão dar umas luzes sobre o assunto.

  13. Pedro Nunes

    Excelente blog. Pode ser que em breve haja mais tempo para cookies.

  14. mute_suds

    Já conhecia o blog, afinal.

    Apesar de interessante, a grande maioria dos discos que me interessam já os tenho em formato físico.

    Mas vou ver se faço uns downloads dos poucos que me faltam.

  15. Pedro Nunes

    bem sublinhado mute. Já tinha colocado isso nos bookmarks para ler mais tarde.

  16. mute_suds

    E para dar seguimento ao post anterior, o thread anteriormente mencioado deu origem a um novo thread, "Is EAI Noise", onde se aprofunda a discussão do que é afinal a EIA bem como da sua ligação ao noise (ou noises) e da importância histórica (ou não) dos compositores electroacústicos dos anos 50 e 60 como stockhausen, david tudor, alvin lucier, a equipa do GRM, etc…

    Aqui: http://ihatemusic.noquam.com/viewtopic.php?f=3&t=3171

  17. mississippi blind joe

    era mazé de por uns destes discos pelo bom garfo..

    :)