Evan Parker Quartet @ Casa da Música 12-09-2009

No sábado passado desloquei-me até à CdM para um concerto cuja expectativa era alta, ia ver o mestre Evan Parker pela primeira vez. A primeira parte era praticamente desconhecida para mim: Louis Sclavis Trio. Gostei, não sou grande consumidor de piano no que toca a free-jazz e o clarinete não é o meu instrumento preferido, mas de qualquer maneira a minha mente já estava no concerto seguinte. Considerei-o como um bónus. Ao fim de uma hora de actuação e quinze minutos de intervalo (a CdM lá nisso não falha), Evan Parker sobe ao palco e começa por elogiar a cidade e a sala enquanto Peter Evans, Barry Guy e Paul Lytton se colocavam confortavelmente nos seus lugares. O concerto foi curto e morno. O sax do Evan foi abafado durante todo o concerto pelo trompete do Peter Evans e arriscaria-me a dizer que este concerto deveria ter outro nome. Peter Evans Quartet, por exemplo. Esteve em todas, sem dúvida, e tem um grande futuro pela frente. Pedia-se, portanto, um maior relevo ao som do saxofone pois só quando o mestre deu início a dos temas é que finalmente disse: “caramba, vi o homem”. O concerto terminou com ambas as bandas em palco num momento muito intenso, mas trocaria isso tudo só para ver o mestre e o seu saxofone. Ao contrário dum Peter Brötzmann, Evan Parker tem uma serie de mutações e esta com estes elementos não é a mais interessante. Aliás, mais uma troca desta vez nas baquetas: Tom Rainey por Paul Lytton. Resumindo, valeu mas não era bem o que estava à espera…

Ps: Obrigado Fernando!

Comentário

Comentar
  1. *maps*

    E o espectáculo do assobio? Foi a loucura…

    Obrigado Fernando!!!