Explosions in the Sky – All of A Sudden, I Miss Everyone

É curioso ler algumas das opiniões que se vão escrevendo sobre este disco e por arrasto sobre a música dos EITS no geral. Aborrecimento e monotonia são palavras que surgem regularmente nos textos de quem não é capaz de encontrar substância nas vibrações produzidas por esta entidade sonora. Até compreendo, há muitas coisas pelas quais sinto o mesmo e outros poderão sentir o oposto. A percepção e interpretação de qualquer obra musical é naturalmente diferente para cada agente receptor. Lembro-me de em 2003 por alturas da edição do disco anterior, The Earth is Not a Cold Dead Place, ler opiniões muito semelhantes.
Felizmente para mim e, vá lá, também para os EITS que têm aqui um bom ouvinte, tédio nunca foi um sentimento que me tenha atingido a ouvir algum dos seus trabalhos.
Para já, All of a Sudden I Miss Everyone também ainda não me conseguiu aborrecer. É um disco enorme. Fui hipnotizado logo na primeira audição pelas inconfundiveis notas que continuam a vaguear e ressoar pelas pradarias texanas enchendo as agrestes paisagens, e desde então que o disco tem rodado incessantemente. Aliás, só me consegui desprender da 1ª música – The Birth and Death of The Day – depois de a ouvir umas 5 ou 6 vezes. Da ameaça inicial de detonação para os murmúrios crescentes das suaves melodias que vão aumentando a tensão até à explosão vibrante com o ribombar da bateria a marcar o ritmo para o assalto das guitarras que culmina no tranquilo ecoar dos fragmentos hipnóticos daí resultantes, de arrepiar.
O encadeamento musical continua a ser extremamente visual, tal como já tinha sido demonstrado pela incorporação na Banda Sonora de Friday Nigh Lights, mas o disco por si só pode ser uma verdadeira experiência cinematográfica tais são as faculdades contemplativas. Sentimo-nos obrigados a nos desprendermos da inércia devido ao fluxo de pensamentos e emoções que nos assaltam. O tema mais longo – It’s Natural to Be Afraid [13:27] – conduz-nos numa verdadeira viagem que se inicia de noite por ambiências inóspitas onde o vento frio nos atinge de frente mas que se dirige lentamente em direcção à luz do amanhecer que acaba por nos envolver e aconchegar na sua plenitude.
A estrutura das composições pode ser semelhante mas permitem-se o alargamento a uma superfície instrumental maior. Isso percebe-se na importância atribuída ao piano em What do You Go Home To? e So Long, Lonesome. A produção também é muito orgânica e faz resplandecer o menor dos sons.
Intensamente brilhante.

O álbum será editado no dia 20 de Fevereiro e terá uma edição limitada com um segundo disco de remixes produzidas por entidades como Jesu, Eluvium e Four Tet.

Um recuerdo

Comentários

Comentar
  1. Melancolia

    TEXAS CHAINSAW EXPLOSIONS IN THE SKY! Concordo, já ouvi o álbum e fala à alma … Um “must”

  2. ::Andre::

    Um belo texto para um belo álbum…
    Só comecei a ouvi-lo no último domingo, entrei com ele no novo ano, mas tal como a ti agarrou-me logo na primeira canção, emocionalmente perfeita. É mais um grande álbum de uma grande banda e sinceramente já só penso por mim, não me interessam que digam que a formula está gasta ou que é mais do mesmo. Não sou nem nunca fui de modas nem sequer procuro música original. Como a Mel diz “o álbum fala à alma”, isso basta.
    Outra coisa que me agrada neles é que não têm álbuns perfeitos (elogio), há sempre um ou outro momento menos bom e isso faz com que os ouça vezes e vezes sem conta sem nunca me cansar. Comprarei essa edição especial e espero MESMO vê-los novamente.

  3. Crestfall

    Momento menos bom? Ké dele?

    Tb quero essa edição. Pelos nomes envolvidos nas remixes, promete :-)

  4. João D.

    o disco parece complexo a menos para post-rock. A abordagem soa mais simplista, menos retocada. O que ouvi até agora gostei :)

  5. Crestfall

    A produção é mais agreste… Parece, por vezes, ter sido captado ao vivo num só take.

  6. Pedro

    Os EITS são grandes. Espero voltar a ver um concerto da banda.

  7. Anonymous

    Adoro o vosso blog. Mas pf. vejam se avisam com meio ano de antecedência sempre que souberem que alguma das bandas que figuram habitualmente no amplificasom, vierem a Portugal.

  8. Crestfall

    LOL thanks, mas olha que meio ano é capaz de não ser suficiente, ou então será cedo de mais e cairá no esquecimento eheh

  9. Melancolia

    Thnx “Anonymous”! Sabe tão bem ler um elogio desses :) Volta sempre, mas pedimos-te um favor… Sai do anonimato :) Quanto à antecedência pedida, temos de consultar o professor “chulanga”