FÆMIN aos olhos da banda

A Arte-Factos convidou os Process of Guilt para falarem sobre cada tema do novo álbum cuja tour nacional terminou no sábado, na ZDB em Lisboa, para quase 200 pessoas. Eis o resultado:

#1 Empire
Quando terminámos este tema rapidamente percebemos que teria de ser o ponto de contacto inicial com “FÆMIN“. Possui uma atmosfera carregada e densa que identificamos como a toada geral do disco. Foi, no entanto, um tema que foi surgindo progressivamente ao longo dos ensaios, ambicionando nós um ambiente hipnótico e que vivesse mais do jogo de tensões rítmicas do que do aumento de distorção.

#2 Blindfold
Juntamente com “Harvest” corresponde a um dos temas que foram esboçados mais cedo no processo de criação do “FÆMIN“. Sendo um tema assumidamente agressivo, representa uma certa abnegação da melodia em detrimento de ritmos compassados e contundentes. Toda a sua estrutura se revelou bastante cedo na composição do novo disco, acabando por ser dos temas em que mais investimos ao nível dos diversos detalhes que o integram.

#3 Harvest
Situado no “centro” do álbum, representa o tema que mais se aproxima a todos os outros na sua estrutura e ritmos. Foi o primeiro tema que criámos na fase pós “Erosion“, sintetizando de modo mais directo as intenções que ambicionávamos desenvolver ao longo do “FÆMIN“, sendo, talvez por isso, o mais diversificado e dinâmico ao nível das partes que o constituem.

#4 Cleanse
Representa um momento de persistência da nossa parte relativamente a um riff que perdurou de forma inacabada quase até ao momento da gravação. Surge a partir de uma melodia já presente e permite, neste ponto do disco, num primeiro momento, quebrar a toada mais rítmica dos temas anteriores, por antítese ao seu término.

#5 FÆMIN
Sendo a primeira vez que temos um tema homónimo, representa para nós a síntese do que todo o processo de criação do “FÆMIN” significou. Foi o último tema a ser ultimado e após a sua conclusão compreendemos que o ciclo deste álbum acabava aqui.

Publicado originalmente em Arte-Factos.

Comentários

Comentar
  1. Pedro Nunes

    O tema que gosto mais acaba por ser o “Cleanse”, talvez pelo seu groove e repetição.
    Segundo as palavras da banda, fica a sensação que é uma espécie de “ponte” para o fim épico, mas de qualquer forma é uma boa travessia.