Hardcore Sensível

Nunca acordaram, um dia, fartos?

De nada em particular, simplesmente fartos?

Da inevitabilidade das coisas, dos “outros”, da impotência perante o “establishment”, da “vidinha”?

Disto e daquilo, mas, no fundo, saturados até ao tutano de tudo ao mesmo tempo?

Também já tive dias desses e posso garantir-vos que, pelo menos, a meio mundo já lhe passou essa mesma ebulição pela cabeça. No entanto, poucos se lembraram de transformar essa raiva latente numa rebeldia, de certo modo, “sensível” como algumas bandas com fortes raízes hardcore que, de forma algo extemporânea, têm emergido na última década. Ainda que a algumas se possa traçar o paralelo da interioridade geográfica dos seus locais de origem, aquilo que mais sobressai na sua música, para além, obviamente, de alguma agressividade e desconforto, acaba por ser a melodia que caracteriza os ganchos que facilmente ficamos a trautear após cada audição.

Dada a irregularidade com que estas bandas aparecem e a falta de legado que muitas vezes as caracteriza, parece-me ser este um espaço adequado para expor algumas daquelas que mais “mossa” me deixaram.

Modern Life Is War

Witness . 2005
The Outsiders (AKA Hell Is For Heroes Part I)

Miles Away

Endless Roads . 2010
Ghostwriter

Defeater

Travels . 2008
Cowardice

Touché Amoré

Parting the Sea Between Brightness and Me . 2011
Home Away From Here

Comentários

Comentar
  1. Tiago

    Com o teu post lembrei-me de um dos bons álbuns que gostei o ano passado, o "Love Let Me Go" de More Than Life. :)

  2. naSum

    Agee..
    Das bandas que referiste a que me bateu mais foi Defeater mas as outras também são mesmo boas. O "Love Let Me go" é <3. Posso referir também Pianos Become the Teeth com o album "Old Pride". E Verse? E Have Heart?

  3. Pedro Agra

    Só uma dica o Witness é de 2005 e não de 2010. ;)
    MTL é o Amor também.

    Verse e HH é bom também, embora um pouco diferentes.

  4. Hugo

    Vicissitudes de última hora, obrigado pela chamada de atenção. O "Witness" é, de facto, de 2005.
    Editado e corrigido!

  5. Ricardo S. Amorim

    Não tens mesmo nada para dizer, pois não, Hugo?

  6. O passageiro

    Por falar em hardcore (não tão sensível) aqui ficam 2 temas dos Turmoil que fizeram parte dos meus dias mais "fartos".
    Duas composições quanto a mim perfeitas em fúria e em ritmo, íamos nós em 1997.Procurem depois o original e digam-me o que acharam.
    New media
    e
    Burning

  7. Pereira

    Pianos Become the Teeth e Touché Amoré são do melhor