Hydra Head: o fim iminente

There is no way to sum up nearly 20 years of incredibly important music, experiences, and evolution other than to say a big heart felt “thank you”, and that we hope this closing will provide an opening into other even more positive and rewarding experiences for all of us and all of you who have been a part of our shared experience. For now we bid you all a very fond farewell….

Aaron Turner, fundador e uma das caras da Hydra Head Records, anunciou recentemente que a editora fica por aqui. Nesta declaração emocionada e pormenorizada, Aaron não culpa ninguém. Desabafa que a indústria mudou, que o caminho nunca foi fácil de qualquer maneira, e apenas chegou o fim de uma caminhada de quase 20 anos.

A vida é tão cheia de caminhos, oportunidades, coisas para se fazer.. Não acredito que esta decisão se deva exclusivamente à indústria ou não fosse Aaron um dos responsáveis pelo término de outro marco na música contemporânea, os Isis. Na altura disse que não há nada mais honesto de que se tomar uma decisão com o coração, sobretudo quando a mesma tem motivos artísticos. Foi o caso dos Isis: a música rendia, mas não a alma já não reagia.

Resta-nos agradecer estes anos de dedicação os quais, pelo menos para mim, fizeram com que descobrisse daquela música que me arrepia. Foram uma autêntica escola de boa música, bom gosto, ideologia, design, saber estar.. Lamento que o fim, o tal iminente, tenha chegado mas se Aaron e Mark, caso a língua portuguesa dominassem e este tópico encontrassem, dir-lhes-ia: não têm ideia do impacto que tiveram nas nossas vidas… Um grande obrigado!

Enquanto preparo a minha última encomenda no site da Hydra Head (é uma questão de dias para que muitos produtos esgotem), partilho convosco a primeira de sempre. Foi em 2005, o Jorge ficou com os cds dos 5ive e eu com Pelican e Isis. Uma tal de Meghan escreveu: “enjoy your new music, it’s good stuff”.

Vou ter saudades dos pacotes amarelos…

Comentários

Comentar
  1. Tiago Esteves

    é de lamentar que assim seja, mas há mto tempo q deixei de mandar vir coisas directamente deles. Veja-se que por exemplo para enviarem um cd cobram 76 dolares de portes o que é impensável…

  2. André

    Tiago, deve haver aí um erro qualquer.. No entanto, os portes são algo que os ultrapassam.