I used to be carried in the arms of cheerleaders

Não me estou a lembrar da última vez que tinha ido ao Coliseu. Sonic Youth não conta. As idas aquele edifício bege chunga são uma espécie de viagem à adolescência onde aí sim marcava presença regular. Ontem foi maravilhoso ver miúdas e miúdos histéricos, cartazes trazidos de casa, palmas e mais palmas durante as canções, cânticos ao fêcêpê, I love yous, a banda de abertura sempre má como estas ocasiões sugerem, os elogios ao público se bem que parecendo verdadeiros sempre iguais a todos os outros… E não, não estou a ser irónico. E sim, gostei do concerto e continuo a gostar dos The National em formato best of onde as melhores canções todas juntas são uma óptima compilação (para todos os melancólicos) de hinos indie soturnos que transpiram sinceridade e melodia. Lembro-me do concerto em Coura às seis da tarde onde hoje é fixe dizer que lá se esteve e este sucesso era, pelo menos na minha cabeça, inesperado. Mas como diz Steve Reich “Eles são a última encarnação de uma banda clássica de rock’n’roll” e acho que não podia estar mais de acordo. Pergunte-se aos geeks.

Comentários

Comentar