"I would like to make it clear (…), that there will definitely be NO reunion of all four original members of Black Sabbath, whether to record an album or tour."

Aproveito a notícia quente do dia para reflectir aqui sobre o assunto.
Por esta altura, já todos devem saber (aqui, aqui ou aqui), que os Black Sabbath voltaram à formação original (o que não acontecia desde 1978), prometendo tours e pelo menos um álbum de originais. 


Embora todos desejemos ver Black Sabbath ao vivo, pelo que foram e pela importância seminal para tudo o que ouvimos hoje, não posso deixar de me sentir algo duvidosa em relação a este regresso…

Vasculhando a minha (fraca) memória, não encontro exemplos semelhantes que tenham dado bons resultados (embora este juízo de valor seja, obviamente, discutível): ocorre-me o regresso à formação original dos Slayer ou dos Anthrax, mas confesso que os deixei de os seguir desde o início dos 90’s (por desinteresse pelo que fizeram desde então) e dos Sabbat, que se limitaram às digressões (quero crer que ajuizadamente)  e não chegaram a editar álbum nenhum.
Os System of a Down também estão a aparecer por aí, entretanto, agora andam a multiplicar-se por digressões…

Pessoalmente, prefiro guardar na memória tudo o que a música dos Black Sabbath sempre me transmitiu, mas não deixarei, claro, de ouvir o que eles lançarem (imagino que não sem um amargo de boca) e de vibrar, como toda a gente, se houver a oportunidade de passarem por cá…

Mas isto sou eu, completamente aficionada, desde os inícios de 80, pelos early years dos Black Sabbath…
E vocês, estão entusiasmados com a ideia?

(A frase do título (retirada daqui) é do Geezer Butler, foi declarada em Fevereiro de 2011  e prova muita coisa além do habitual “nunca digas nunca”)

Falso Alarme…
o próprio Toni Iommi diz, aqui:
“I’m saddened that a Birmingham journalist whom I trusted has chosen this point in time to take a conversation we had back in June and make it sound like we spoke yesterday about a Black Sabbath reunion.
At the time I was supporting the Home of Metal exhibition and was merely speculating, shooting the breeze, on something all of us get asked constantly, “Are you getting back together?”
Thanks to the internet it’s gone round the world as some sort of “official” statement on my part, absolute nonsense.  I hope he’s enjoyed his moment of glory, he won’t have another at my expense.
to my old pals, Ozzy, Geezer and Bill, sorry about this, I should have known better.

All the best, Tony”

Se viram, como eu, o desenvolvimento desta notícia ao longo do dia e a divulgação por sites e facebook compreendem o buraco que é…

Comentários

Comentar
  1. Alexandre Fernandes

    Eu estou emocionado com a ideia. Mas não acredito muito que me surpreendam pela positiva.

  2. André Forte

    eu já vi boas reuniões, das quais não saí muito desiludido. Os Rage Against The Machine satisfizeram o meu desejo longíquo de os ver e os Kyuss Lives! só me provaram que caso o Homme entrasse na brincadeira dariam um concerto fantástico.

    Mas não me parece que este seja um caso de sucesso :P

  3. vera viana

    Vamos ver, Alexandre, o sentimento por aqui é mais ou menos o mesmo.
    Que não seja much ado about nothing…

    Dos RATM ou dos Kyuss lives! ainda não existe nada de novo e realmente palpável, mas acho que ambos estarão mais "condenados" ao sucesso do que os Black Sabbath…

  4. Pedro

    O jornalista deu com a lingua nos dentes antes do tempo, foi só.

    Ninguém responde com pormenores sobre tipo de som, saúde de membros da banda, que tem sido difícil manter o ozzy calado, quando lhe perguntam "vocês vão se juntar?"

    A pergunta era simples, a resposta é de sim ou não.

    O Iommi decidiu responder hipoteticamente (diz ele agora), mas na realidade deu muitos pormenores para a coisa não estar a ser concebida.

    Agora como correu mal, o jornalista falou antes do tempo lá teve de vir ele dizer que foi fora de contexto e que estava a falar hipoteticamente. E lá pede desculpa porque "já devia saber".

    Pois… já devia saber que o tipo ia-se chibar antes de ser oficial.

    Em relação a expectativas… em disco, com o velho som, não será mau, mas não terá a magia da fase de ouro de Sabbath até Never Say Die. Vou ouvir, mas sem grandes esperanças. Não podem é deixar o Ozzy escrever letras.

    Ao vivo, os exitos serão tocados e pouco mais. É pena não haver uma setlist mais variada, com temas do Vol 4 ou Sabotage por ex.

    Ainda assim, uma passagem ca e eu não resistia. Não fossem os Sabbath muita música hoje não se ouviria. E War Pigs continua a ser uma música que eu considero ter tudo naqueles 7 minutos. Só por esta vale o preço do bilhete

  5. vera viana

    Sim, Pedro, concordo contigo: é evidente que a coisa estava já mais ou menos decidida e foi anunciada, inadvertidamente e antes do tempo, mas não sei com que cara o Iommi anunciará a mesma coisa daqui a uns tempos… provavelmente, fazendo fé na falta de memória geral no que se refere a este tipo de questões. Ou no facto de que a notícia suplanta qualquer controvérsia anterior…

    Mas, apesar de a futura notícia poder ser boa ou não, acho que nunca poderão ser o que foram – acredito que darão uns bons concertos (e ganharão bastante dinheiro com isso), mas provavelmente ficar-se-ão por isso mesmo, como os RATM, por exemplo.

    E, claro, se vierem cá, também estarei lá, se puder (esperando que toquem também o War Pigs, uma das minhas preferidas de sempre).
    :-)