Insomnium – Above the Weeping World

Se este disco fosse composto apenas pelas músicas pares, dava um EP fantástico (10/10). As impares não são más, bem longe disso, ficam é a perder quando comparadas com as suas adjacentes.
Ao 3º álbum, estes Finlacos continuam a fazer o que bem fazer sabem. Não há sinais de inovação ou progressão, há “apenas” uma boa dinâmica e a consolidação de uma sonoridade que lhes permite criar boas músicas, poderosas, cheias de melodia e capazes de transmitir uma enxurrada de emoções.
Apesar da banda viver em débito permanente para com o Death Metal melódico made in Suécia, há uma certa ambiência na sua sonoridade que me recorda o clássico Tales From the Thousand Lakes dos seus compatriotas Amorphis. Em parte devido às profundas vocalizações guturais e ao cheiro a folklore finlandês, mas também particularmente graças a algumas passagens acústicas como na Change of Heart em que se ouve o Hammond bem lá ao fundo. Além disso também está presente por diversas vezes aquela negritude melancólica típica de outros conterrâneos seus, os suicidas Sentenced. No entanto, não é um sentimento pessimista que nos assola, é antes uma melancolia reconfortante.
Comparações à parte, o segredo no trabalho dos Insomnium está associado à harmonia das guitarras, a força dos Riffs e as melodias das Leads. As composições não tem nada de complexo mas são terrivelmente viciantes. Algumas camadas de partes acústicas elevam o som de uma maneira épica, oiça-se o refrão de Devoid of caring. A produção é a ideal, nada é demasiadamente polido, as vocalizações estão niveladas com os instrumentos e há um pleno preenchimento atmosférico.
Um disco obrigatório para qualquer adepto ou ex-adepto de Death Metal melódico, e faltou mencionar que também há por aqui qualquer coisa de Opeth nas transições acústicas.

The coisa

Comentários

Comentar
  1. naSum

    lol. é bem. nao ligues Andre. uns copos a + e da nisto…

    Tá +/- o album :).

    O TÚ!!! ÉS TÃO MAIS Ó MENOS

  2. PoisonGodMachine

    “Crestfall said…
    Então, metade Finlandês, metade Sueco!”

    Então seria Finleco!
    Quando li Finlaco pensei que fosse metade Finlandês, metado Polaco! :P

  3. PoisonGodMachine

    Entrou agora justamente a “Devoid Of Caring”, muito boa a riffalhada!

    No geral está um bom álbum. O único senão (e eu sou sempre a mesma m”%#a neste aspecto, admito!) é mesmo a voz. Enquadra-se perfeitamente, mas não vai de encontro ao comprimento de onda, só isso.

    De qualquer forma, valeu bem a pena o download! :D

  4. Crestfall

    Finlaco!

    Tu e a voz… Ainda hás-de ser o melhor vocalista do Planeta :-)
    Gostas do Tales?