Isis: aviso à imprensa

Já comuniquei pessoalmente a todos os pedidos, mas fica o aviso à malta das entrevistas e afins que os ISIS nesta tour não estão disponíveis para nada relacionado com a imprensa. Não fiquem com a impressão errada, quem os conhece sabe que são selectivos a falar da sua arte devido às más interpretações do passado.

Ps: Atenção ao flash, tenham bom senso.

Comentários

Comentar
  1. Scapegoatt

    Eu não acho lá mt bem, mas pronto. Não os tenho em conta como pessoas acessiveis.

  2. gangrena

    o Marco vai trabalhar por mim e garanto no-flash. Eu acho que só levo as chaves de casa, de tão rockón que vai ser :')

  3. ::Andre::

    São muito acessíveis, garanto-te. Vais vê-los antes e depois do concerto a andar por lá a falar com a malta, assinar discos, provavelmente até na banca do merch. MAS no que toca a falar do conteúdo/ inspirações/ influências dos álbuns o Aaron é muito selectivo para evitar distorções. Não é por acaso, por exemplo, que as letras não vêm nunca nos booklets ou que as mesmas sejam publicadas no site muito tempo depois do lançamento dos discos.

  4. ::Andre::

    E não esperem comunicação banda-público durante o concerto, não é suposto. Um "thank you" no final é o normal, não por falta de vontade de estar naquele palco em questão, mas porque toda a atenção se deve concentrar na música.

  5. António Matos Silva

    até acho bem que não sejam media whores, mas não sei bem o que achar sobre isto. sendo a primeira vez deles cá em portugal, não fazia mal darem uma ou duas entrevistas, até para não passarem a imagem de divas da ópera, totalmente desnecessária. mas sim, percebo que as pessoas tenham tendência a distorcer o que se diz muitas vezes e também não são todos os que são capazes de fazer uma boa entrevista, com boas perguntas. que voltem e da próxima falem :p
    quanto à presença e atitude em palco, há determinados tipos de bandas e estilos que não são dados a falas. e isis é um deles, totalmente compreensível.

  6. António Matos Silva

    e é verdade, quanto tempo vamos ter de circle e keelhaul?

  7. Scapegoatt

    Eu não digo que sejam misantropos, mas tinha-os como pouco comunicativos. Estarei enganado por certo =)

  8. ::Andre::

    Tó, eles já deram entrevistas à imprensa portuguesa, Loud e Blitz por exemplo. Aliás, o Turner respondeu-me com muito agrado a uma cena tão simples como o "No blog com…". Já os conheci pessoalmente, são gajos porreiros e não ganho nada em dizer isto. Até podiam ser as maiores bestas, logo que arrasem em palco :)

  9. José

    Carta aberta a quem me "pediu emprestado/desviou/roubou" o Panopticon e o In the absence…
    É favor devolver rapidamente ou vou ter que pedir para me assinarem um mp3.
    Obrigado

  10. Nighttime

    O que seria da divulgação do trabalho de uma banda sem a ajuda dos média? Enfim… não tenho pachorra para traumas da carochinha… Se eles são assim tão selectivos custava não serem assim tão extremistas? "Não, não damos entrevistas A NINGUÉM! Nhanhanhanhanhanha…" Acho que qualquer fã gosta de ler uma boa entrevista. Para além do mais volto a enfatizar que o mundo da música não é uma realidade à parte, pelo contrário anda sempre de mãos dadas aos média, seja de que forma for. Quanto ao concerto, acho que sabemos o que podemos esperar, quem vai por Isis acho que já deve saber mais ou menos como eles são em palco, mesmo que ainda não tenha ido a um concerto já deve ter feito alguma "investigação". Parabéns ao trabalho da organização :)

  11. João Veiga

    está quase!
    Eles querem é dar um excelente concerto e relaxar um bocado :P deixem lá os homens em paz :3

  12. Crestfall

    Nighttime, não há extremisto algum, estamos a falar de nada relacionado com a imprensa no âmbito desta visita a Portugal. A promoção do trabalho da banda e dos concertos faz-se antes, não durante. Durante a sua estadia por cá vão querer certamente desfrutar do País e dos concertos. Como o André já mencionou vcs vão poder vê-los por lá e falar com eles naturalmente.

  13. ::Andre::

    Sendo um grande fã e imaginando que há por aí mais como eu, sugeri uma pequena sessão de autógrafos numa loja de discos. Eles viraram-se para mim e disseram que preferiam ficar a ler um livro ou a conhecer o Porto :)
    É uma filosofia diferente, são naquela onde mais Fugazi que uma qualquer outra banda de metal. Não é desrespeito, a imprensa é muito importante e eles reconehcem, mas é uma maneira de estar totalmente diferente. Aprecio.

  14. Preguiça

    acho muito bem o pedido de não-flash. gosto de levar máquina para concertos mas raramente uso flash porque acho que deve ser uma merda para os musicos, principalmente em salas pequenas.

  15. ::Andre::

    After constantly explaining concepts and story outlines to interviewers and fans, Turner has chosen to keep the thematic basis of In the Absence of Truth quiet. "Through explaining the last two albums time and time again, I just started to become weary of the topic, and I started to feel like I was losing my connection to the music and the lyrics simply from having repeated it so many times, and for me, personally, it's really important to maintain that connection as much as possible. I feel there's a lot of emphasis these days placed on explaining everything in such a fashion that there's really nothing left for the listener or reader to explore themselves. It's all spelled out," Turner continues. "So it's interesting to leave some of that stuff open-ended so they have do to a little bit of legwork themselves."

  16. gangrena

    queria levar os vinys para eles assinarem mas não arrisco. Margem Sul Hardcore xD

  17. Pedro Nunes

    Não vale a pena distorcer isto. Parece-me muito bem. Os Isis dão muitas entrevistas e os seus membros fazem mais que suficiente pela "cena". Respeito esta postura nas tours da mesma forma que o faço em relação aos Neurosis, ao Tom Waits etc. Se eles têm um estatuto que os distingue de outras bandas do género? Não é pelo elitismo mas por andarem por cá há uma catrafada de anos a fazerem música de qualidade.

    pedro nunes