Jarboe – Mahakali [2008]

Será um bocado relativo dizer que a Jarboe é como o vinho do Porto, até porque eu gosto particularmente da fase Swans e não conheço muito bem a carreira dela a solo. No entanto posso afirmar que MahaKali é uma história musical do caraças! Depois da desilusão que foi a colaboração com Justin K. Broadrick nos J2 [posso não ter ouvido as vezes suficientes], sabe bem ser assim surpreendido por tão tenebrosa jornada mística. Parece que a senhora se rodeou das pessoas certas. Quer em termos instrumentais quer vocais. A sequência do 3º ao 7º tema é deveras assustadora! Noise, drone e metal ritualista formam um universo fantasmagórico, habitado pelas contorcidas manifestações do seu alcance vocal, desde a infantilidade meia sinistra dos murmúrios mais ternos à face mais obscura dos gritos agonizantes. E ao 6º ainda conta com a cooperação demoníaca de Attila Csihar. Depois de sobrevivermos ao horror temos outra colaboração que se insinua como mais um ponto alto no disco graças aos trejeitos rouquenhos de Phil Anselmo na versão acústica de Overthrown. Este tema é alvo de outra versão mais ritmada e com um travo algo goth mais à frente no disco, mas eu prefiro a versão acústica. Respect.

Comentários

Comentar
  1. jorge silva

    estou bastante curioso quanto a este.
    não é que seja grande conhecedor da carreira a solo da jarboe (conheço só um ou outro) mas quando arranjei o anhedoniac andei a ouvi-lo obsessivamente.

  2. Riot Grrrl

    mas sabem o que era mm mm mm de rei? era trazer a jarboe ca :D

  3. ::Andre::

    Vi a Jarboe em Famalicão (com a Paz Lenchantin!!). Eu e mais uns trinta…

  4. amebix

    André:Eu fazia parte dos 30 e a Jarboe sentou-se ao meu lado enquanto cantava:)

  5. ::Andre::

    Nessa altura ainda não te conhecia, pois não? Foi grande concerto…

  6. Crestfall

    LOL tens razão, eu escrevi “cooperação demoníaca de Attila Csihar” e devia ter escrito “Attila entra num tema”, desculpa.