L’enfance rouge – a revolução depois dos 40.

Diz-se que a idade está na cabeça, que só nos tornamos velhos empedernidos se o nosso espírito envelhecer como a nossa carne. Na sexta-feira passada os L’enfance Rouge provaram-nos isso mesmo, com um longo e frenético concerto, imbuidos de toda a alma juvenil que nos faz querer conquistar o mundo. Um concerto de quem ainda tem vontade de mudar as coisas, uma verdadeira viagem pelas culturas sonoras que influenciam os músicos – da Ásia ao médio oriente, do médio oriente à Europa. Quem lá esteve de certeza que se deixou contagiar pela força rítmica que impeliu mais um fabuloso concerto promovido aqui pelos vossos companheiros.

De destacar a abertura de L’Ocelle Mare, aquele francês de olhos esbugalhados, com o seu palco montado de forma sagrada, ladeado por instrumentos bizarros a dar textura ao seu mundo esquizofrénico. Muito interessante sem dúvida.

Aqui ficam algumas fotos, cortesia da Carmo Louceiro.

Comentários

Comentar