Let there be doom

Acabei de receber a re-edição deste álbum e é tão apetecível que deve ser partilhada. A banda já não é segredo para ninguém mas aqui vai:
Em 1996, depois da separação dos Thorr’s Hammer, Stephen O’ Malley, Greg Anderson e Jamie Sykes formaram os Burning Witch em Seattle. Greg mal aqueceu o seu posto, saiu pouco depois para formar os Goatsnake, e entretanto G. Stuart Dahlquist e o vocalista Edgy 59 já faziam parte do alinhamento.
No mesmo ano, a banda grava o EP “Towers” com Steve Albini o qual só viu a luz do dia em 1998 através da Slap A Ham Records. Chris Dodge, um dos responsáveis da editora, dedica algumas linhas no booklet desta re-edição sobre o assunto.
Jamie Sykes abandona o barco depois destas sessões e B.R.A.D. entra para o seu lugar. Segue-se o segundo e último trabalho da banda, o EP “Rift.Canyon.Dreams” o qual foi editado pela Merciless Records e, tal como o anterior, não teve muito destaque. A banda acabou ainda antes do seu lançamento.
Este ano, dez anos depois do último concerto dos Burning Witch, a Southern Lord re-edita os dois EPs numa versão dupla – em que “Towers” foi misturado por Randall Dunn e “Rift…” masterizado por Mell Dettmer – com um booklet de 40 páginas nas quais contém comentários de músicos como Aaron Turner (Isis), fotografias de Seldon Hunt, imagens alusivas à banda e as próprias letras. Enfim, um mimo… obrigatório.

Comentários

Comentar
  1. Helder

    Adoro a capa, também é do Seldon Hunt?

    André, tens de me mostra esse cd, para ver o artwork, quando me emprestas o livro que te pedi? :P

  2. ::Andre::

    Nop, não me lembro do nome mas não é dele.

    Ultimamente não temos tado juntos…

  3. Sobral

    A Terrorizer tambe pôs o Cripled Lucifer este mês na secção de classicos Blast From The Past.

  4. Pedro Nunes

    “Ps: estou a juntar dinheiro para uma revival tour dos Khanate…”

    ahah :)

  5. ::Andre::

    Jorge, vê se me emprestas a Terrorizer.

    Ó Luís, tu eras menino para ser cliente habitual da Rock-A-Rolla.

  6. Crestfall

    Oh esta gente tem mas é toda a mania… Ah eu toco aqui e acolá e sou influente pra caraças… tá bem tá, ide todos dar banho ao cão.

    Não tenho comprado a terrorizer, nunca mais arranjei :-s

  7. jorge silva

    ainda não comprei a terrorizer, mas conto compra-la nos próximos dias. depois empresto-ta andré.

    crestfall – eu já te disse onde é que a podes arranjar!

    por coincidência, “arranjei” (ahem!) este álbum recentemente e tenho andado a ouvi-lo esta semana.

  8. Crestfall

    Eu sei que disseste mas eu nunca vou para aqueles lados…

  9. ::Andre::

    Obrigado Sobral ;)
    Essas coisas interessante ssão reviews ou artigos?

    A Terrorizer anda a abrir horizontes ou sou eu que andei mal informado?

    BW oo/

  10. João

    terrorizer devia ser abolida por um mundo melhor…. :)
    mas sim agora gostam disto tambem.

    anyway… andré o jamie é o marido da jesse dai a ligação dela ao soma que ves no altar. ele é musico de palco da jesse ainda se nao estou em erro,e teem um myspace conjunto :)

  11. Sobral

    SvT/SoL/SK é uma entrevista conjunta (duas paginas) e Moss é entrevista tb.
    A Terrorizer sempre deu atenção a varias coisas, apesar do destaque ser o metal, já desde há varios anos. Eles falam em Sunn desde os 1ºs albuns.

  12. Pedro Nunes

    Posso estar enganado mas a Terrorizer já há alguns anos que aborda vários nomes com sons para além do metal. Lembro-me de um 9/10 ao Kesto dos Pan Sonic se não estou em erro – isto em 2004, altura em que depois deixei de comprar a revista (não porque estivesse a perder qualidade, eu que me virei para outros lados..).

  13. Crestfall

    Sim, desde que me lembro e tirando o facto de puxarem muito a brasa à sardinha britanica, a terrorizer sempre teve os horizontes bem abertos.

  14. Pedro Nunes

    Jorge, nisso tens razão, o facto de puxarem muito a brasa à sardinha britânica

  15. João

    tb dar menos do que 9 de 10 a pan sonic até na terrorizer é impossivel : D