Matthew Collings

Nos últimos 3 anos andei, mais ou menos ativo no meu blog, a promover tudo o que encontrava de relevante no espectro de modern classic com uploads de vídeos no youtube. Por estar a fazer uma lista dos trabalhos que mais me impressionaram neste processo, decidi falar de um álbum de 2013 que passou praticamente despercebido e que foi para mim uma das poucas surpresas no espectro modern classic do ano passado: Splintered Instruments do Matthew Collings.

Não é um álbum típico de modern classic, tem uma voz gravada propositadamente baixa, quase de alguém que não gosta de se ouvir a cantar e acha que deve ficar para segundo plano. Se conhecem o trabalho dos ORCAS (Benoît Pioulard Rafael Anton Irisarri) e se acham, como eu, que a voz do Pioulard tornou o álbum demasiado sonolento têm aqui uma segunda oportunidade neste álbum.

Quem diria que o barulho de corvos era tão compatível com clarinete? Nota-se claramente que foi produzido por Ben Frost, mas sem a frieza que o caracteriza. Provavelmente é a voz, num tom tímido próximo dos A-ah, que corta o lado mais mecânico da produção mas o certo é que este trabalho sumariza muito bem a tendência de instrumentos de sopro na cena modern classic/electrónica que será, provavelmente, o post da próxima semana no Collectables.

Comentários

Comentar