Mircea Eliade Revisitado

No próximo dia 13 de Março Mircea Eliade, vulto incontornável dos estudos de Religião Comparada e Antropologia, celebraria o seu 103º aniversário – não sofresse ele daquela maleita que nos afecta a todos, a mortalidade.

A FLAC Produções em parceria com a Die Elektrischen Vorspiele decidiram assinalar a data organizando um simpático evento na Fábrica de Som.

Para além dos concertos de Wolfskin (e este é bem capaz de ser o último concerto deles), Stalker Vitki e Plateau Omega, serão projectados 3 filmes inspirados na vida e obra de Mircea: “Uma Segunda Juventude”, “Domnisoara Christina” e “Eu Sunt Adam”

Pelo meio e após haverá animação musical (de maior ou menor grau) a cargo do Bilic, do Julius e do vosso caro redator representing pela Team Kali.

Sendo a um fim-de-semana e com um singelo custo de 5 aéreos, é de aparecer se não tiverem nada para fazer. Parece-me que só pelos concertos é capaz de valer a pena :)

Comentários

Comentar
  1. António Matos Silva

    tive oportunidade de estudar algumas coisas do eliade em antropologia da religião o ano passado, o homem era brilhante sem dúvida, fiquei com vontade de mergulhar na obra dele. pena que esteja a trabalhar aos fins-de-semana, porque gostava imenso de dar um salto aí ao porto para ver isso ;) boa iniciativa rodolfo! continua com as runas também!

  2. amebix

    Teve ideias interessantes,sendo que não sendo um visionario(todas as suas ideias de antropologia já tinham sido dadas por autores menos reconhecidos nesse campo),possuia umas tiradas com as que concordo.O facto de ter vivido na Asia(em Portugal também)para estudar algumas religiões indianas e acabar a dizer que o cristianismo é a religião com um corpo teorico mais "certo" para a humanidade é de notar.No que toca a Portugal e ao tempo que viveu aqui disse aquela estuoidez que era qualquer coisa como "o regime de Salazar-foram amigos-é um regime totalitario,cristão cujas bases sustentadoras são o amor"

  3. Rodolfo

    essas tiradas serão sempre recordadas infelizmente…

    em defesa dele digo que o "elogio" que fez a Salazar foi mais no sentido de ilustrar que era possível estabelecer um regime totalitário não autoritário, ao contrário do que se verificava noutras nações europeias da altura.

    de qualquer modo, a sua obra "Salazar e a Revolução Portuguesa" não foi bem aceite nem por Antonescu (que não implementou o modelo proposto) nem a Salazar que não permitiu que a obra fosse traduzida para português.

    amebix, permite-me discordar (não discordando muito) de uma coisa: ele pode não ter sido o "inventor" da antropologia, mas no seu tempo ela era uma disciplina muito incompleta salvo as honrosas excepções submetidas por Sir James Frazer – que é muito (re)conhecido – e que o Mircea, de qualquer modo, reconhece como uma influência.

    mas que não sejam os defeitos de um homem o que melhor recordemos dele, antes os seus feitos.

  4. Rodolfo

    antónio: obrigado pelo encorajamento, tenciono completar o futhark ;)

    é pena que não possas aparecer.

  5. António Matos Silva

    por acaso tenho ideia que nesse fim-de-semana trabalho, mas vou ver o que consigo fazer. não há interessados em trazer isso para lisboa?

    e agora fiquei com vontade de pegar nos textos de antropologia.

  6. amebix

    Rudolfo:
    Só acho que muitas vezes o pessoal colado na obra dele ñão conhece outros autores que ele própio reconhecia como vitais nas suas analises.
    Quanto aquela tirada do cristianismo em relação as religiões maiores da India,dei aquele exemplo como um facto positivo e não negativo(creio que passou a imagem contária).
    Quanto ao regime de Salazar não me digas que era um regime totalitario não autoritario,sendo que escrevo isto na mesma sala dum amigo meu que esteve preso pela PIDE por possuir uma ideologia contraria(e não falo no comunismo).

  7. Rodolfo

    amebix: eu não digo nada disso, ele é que disse; por favor não me entendas mal, não gosto de me meter em política.

    quanto a essa opinião dele sobre o cristianismo… é a dele, que vem de um contexto ortodoxo o que certamente terá influenciado/moldado a sua visão do mundo.

  8. Júlio Mendes Rodrigo

    Os que leram as obras de cariz biográfico relativas ao intelectual romeno (por ex. “A Provação do Labirinto” Conversas com Claude-Henri Rocquet, ou o Cahier de L’Herne dedicado a Eliade e dirigido por Constantin Tacou) estarão familiarizados com o legado proporcionado por inúmeros pensadores à edificação de muitas das obras de Mircea Eliade, dos quais se destacam entre muitos outros Bachofen, Robert Graves, Georges Dumèzil, Rudolf Otto ou Surendranath Dasgupta.
    Relativamente ao seu contributo e perenidade para a História Comparada das Religiões permito-me citar Artur Versluis, na sua crítica ao livro ”Religion After Religion: Gershom Scholem, Mircea Eliade, and Henry Corbin at Eranos” :
    “The importance of these three authors derives not only from their vast knowledge of specific religious traditions, but even more from their extracting and weaving together provocative and profound ideas out of that knowledge. We can criticize them as we see fit, but if what they have to say is indeed of enduring value, their works will long outlast those of their critics, not least because they inspire more than they condemn.”

  9. O Castrador

    Foda-se era o que cá faltava, o estica nazi-latino! Qualquer dia vem também para aí o bucha nacionalista ladrar

  10. Veggy

    Mircea Eliade viveu em Cascais numa pequena casa na zona central (agora somente pedonal), e existe uma placa na fachada principal com essa informação.
    E sim, M.E. foi uma grande autor, sendo que o tema "consciência" abordado em algumas das suas obras é o que mais me fascina.
    Já o filme "uma segunda juventude" leva-nos à origem da "comunicação" (o sânscrito fascina-me) e, consequentemente, à origem da consciência humana. Recomendo!

  11. Scometa

    O "Sagrado e o Profano" e o Tratado da história das religiões foram duas obras importantíssimas para mim nos tempos da faculdade. Se calhar devo ser fasço.

  12. Crestfall

    Um gajo de extrema direita que defendia para o seu país um regime totalitário não autoritário como aquele que (pensava que) via em Portugal, tem que ficar marcado por esse tipo de comentários.
    Isto faz-me recordar que ainda não vi o Youth Without Youth.

  13. ::Andre::

    A data não me vem nada a calhar, caso contrário estaria presente.. De qualquer maneira, força nisso :)

  14. J.

    Obrigado Rodolfo pela divulgação deste evento! Antes de mais queria dizer que é uma honra poder homenagear o Mircea Eliade, que também escreveu o "O xamanismo e as técnicas arcaicas do extâse", um autor que tanto me fez pensar.

    Apesar de demasiado académico, faltando-lhe a dimensão experiencial e de campo de um R. Gordon Wasson por exemplo, tem uma obra intelectual de respeito, que merece atenção.

    Quanto à questão política, cada um vê e valoriza o que quer. Há quem ache que o Tom Cruise é um grande actor; eu só vejo um tipo que come placentas. Pre-conceitos todos temos…

    Finalmente, aceitam-se apostas para saber qual dos últimos concertos de Wolfskin é realmente o último!!!

  15. Rodolfo

    hey J.!
    pois… realmente, os Wolfskin são tramados… sempre a enganar o pessoal com o "derradeiro" concerto; pessoalmente, espero que não seja este o último mas compreendo os motivos que vos levam a este término eminente.
    seja como for, vai ser uma grande noite certamente :D

  16. J.

    A verdade é que nos fazem estes convites catitas… E o arsenal tecnológico vai crescendo, o que também torna estas aventuras mais fáceis do que aqui há uns anos!!!

    Estive a reler o comentário deixado aqui pelo Júlio Mendes Rodrigo, e é exactamente isso que me fez interessar pelo Mircea: a capacidade de produzir argumentos e linhas de raciocínio a partir do conhecimento das diversas culturas espirituais.

    Entretanto passei a interessar-me mais por escritores mais "fenomenais", ou seja, que vivem mais os fenómenos sobre os quais escrevem. Mas claro que o Eliade continua a ser 1 referência máxima, independentemente das tentativas de o denegrir com a questão política – o homem tinha mau gosto nas opções políticas; se calhar também cantava mal. Mas não o vamos homenagear nem como cantor nem como político, mas como pensador e escritor.

    Sim, sem dúvida que vai ser 1 boa noite, 5 € para ver 3 filmes é 1 excelente negócio!!! E ainda se vai ouvir 1 ambient ao longe :)

  17. Rodolfo

    "E ainda se vai ouvir 1 ambient ao longe"

    pá, eu espero ouvir "ao perto"

    espero que o pessoal se concentre nos concertos; eu vou levar material sonoro suficiente para os distrair depois ;)