Múm – Go Go Smear the Poison Ivy [2007]

Por mais que tente não consigo achar grande piada a este disco. Isto apesar de até ser bem mais alegre e circense do que o habitual. É até mais abrangente e texturado, mais agitado e também mais infantil [em alguns aspectos]. Usam uma maior variedade de instrumentos “reais” e menos recursos electrónicos. Mas a forma como os misturam parece-me por vezes em excesso ou demasiadamente ambiciosa. Há espaços muitos apertados com muita coisa a passar-se ao mesmo tempo e há alturas em que as composições parecem uma caixa de música suportada com instrumentos de brincar ou a fanfarra local. O excesso de vozes em coro também não ajuda.
Não é só o inocente aconchego da voz de Valtýsdóttir que está ausente, falta aqui também um toque celeste com ornamentações mais atmosféricas. Há alguns momentos interessantes na forma das gentis melodias de Moon Pulls e de Marmalade Fires ou na orla cinematográfica de Winter (What We Never Were After All), mas quando o álbum termina sinto que muita experimentação me passou ao lado sem que a vontade para a compreender aumente.

Comentários

Comentar
  1. ::Andre::

    não os conheço muito bem, imagino-os ao lado de uns rós mas apenas para os situar. se até hoje não cheguei lá, é provavél que nunca mais chegue…

  2. ::Andre::

    também islandeses? bem me parecia que os associava por alguma coisa…

  3. ::Andre::

    ir à islândia é um dos meus destinos de férias de sonho, deve ser um país tão mas tão lindo…

  4. ::Andre::

    pois… a ryanair já voa para estocolmo, pode ser que um dia voem lá para reikjavik…

  5. Luis

    Não são os voos que são caros, mas o custo de vida. É acima do absurdo – provavelmente o país mais caro.

  6. ::Andre::

    é um país a visitar a longo prazo, espero eu…

    oslo é a cidade mais cara do mundo. tenho ideia que os países nórdicos são todos caros.

  7. Luis

    sim, oslo deve estar ao nível da islândia…mas penso que a ilhita será mais cara (oslo sobe na tabela por causa dos transportes e renda, para além de ser tudo caro, claro).