O Backline do Ângelo: os amplificadores Green

Hoje:

Apesar da fama, a Orange não detém o exclusivo da utilização de cores no que toca a baptizar amplificadores: apesar da sua relativa raridade, os Green são um dos amplificadores mais conceituados entre os músicos da cena stoner/doom.

Generalidades aborrecidotécnicas:

O primeiro fabricante dos Green – a produção começou em 1994 –foi a Matamp, empresa inglesa que, décadas antes, esteve também associada ao fabrico dos primeiros Orange. Em 2005 a produção dos Green atravessou o Atlântico para passar para as mãos da norte-americana Electric Amps, se bem que com algumas diferenças ao nível dos circuitos em relação aos fabricados pela Matamp.

A Electric Amps fabrica alguns modelos diferentes dos Green, e podem consultar o seu catálogo neste website extremamente bem construído.

Onde é que já os ou|vimos:

Devido ao escasso volume de produção e ao preço algo elevado, os Green não são amplificadores que se encontrem com muita regularidade nos palcos. Mesmo assim, são/foram utilizados por músicos como Al Cisneros, Matt Pike, o Urlo e o Poia dos Ufomammut, Hank III, Chino Moreno dos Deftones e Aaron Gregory dos Giant Squid.

Até para a semana:

\m/

Comentários

Comentar