O fim dos Isis pode não ser mau de todo

O fim de algumas bandas que nos deixaram marcas acabou por dar origem ao nascimento de projectos que hoje idolatramos tanto ao mais que os anteriores. Se pensarmos que GY!BE deu origem a A Silver Mt. Zion, Sleep a Om e High on Fire, Kyuss a Queens of the Stone Age então o fim dos Isis até pode nem ser mau (se bem que os próprios elementos já têm uma serie de projectos de qualidade, leia-se Jodis, Red Sparowes, Old Man Gloom, MGR, etc etc). Deixemos a banda de Oceanic de lado e dêem-me mais exemplos como os de cima.

Comentários

Comentar
  1. Filipe

    Botch-> these arms are snakes
    At the drive in-> the mars volta
    Godflesh-> jesu

    Foram aqueles que me vieram logo à cabeça.

  2. teenagewasteland

    Não sabia que os Red Sparowes tinham elementos dos Isis. pfff que falha

  3. Luis

    Hmm! Os Silver Mt. Zion co-existiram com os GYBE e nao foram resultado do termino dos ultimos. O primeiro album de SMZ e de 1999 e o ultimo de GYBE de 2002.

  4. Bruno

    mr bungle:

    anything patton
    trevor dunn's trio-convulsant
    secret chiefs 3

  5. Scometa

    O Mr Patton ja estava nos Mr. Bungle bem antes de ingressar em Faith No More.

  6. Neuroticon

    Joy Division – New Order
    Swans – The Angels of Light ou Michael Gira / Jarboe
    Maudlin Of The Well – Kayo Dot
    VU – Reed / Cale
    Ornatos Violeta – Peixe / Nuno Prata / Manel Cruz (FFB / Pluto)
    RATM – Audioslave
    Amon Düül – Amon Düül / Amon Düül II
    Spacemen 3 – Spiritualized

    Tantos bons exemplos…

  7. Ocelot

    Silence 4 -> David Fonseca
    The Beatles -> John Lennon

    hehe

    Scometa, confesso que não tinha conhecimento que Mr. Bungle já existia antes do Patton ingressar nos Faith No More

  8. b1p0l2r

    André, alguns dias depois de ter lido o teu post sobre o fim de Isis, recebi este texto na newsletter da Flur:

    "(…) o mercado segue sem hesitar (porque é a sua natureza)
    e quase ninguém se detém a pensar nessa palavra, saturação,
    e no que ela significa, afectiva e economicamente.
    se forem muito fãs, como o sujeito que achou inadmissível
    celebrarmos o record store day e não termos à venda
    um single limitado dos pet shop boys,
    tentem ser um pouco menos. é melhor para todos.
    as coisas só têm a importância ou o valor que lhes damos
    e temos de ser também capazes de lhe retirar essa importância ou valor.
    depois então podem começar a construir-se coisas realmente bonitas outra vez."

    :)

  9. ::Andre::

    Bem corrigido Luís.

    Tiago, é um bocado contraditório mas percebi a mensagem.

  10. Tiago

    Basicamente, o importante é que os músicos que tanto idolatramos continuem activos.

    Já imagino o Aaron (Turner), e o Jeff envolvidos noutra cena grandiosa.