O nosso AMPLIFEST 2012

Paulo Pimenta (P3)

Que grande fim-de-semana…

Não é fácil. Não é fácil partilhar o que não queremos que saia de cá de dentro. Menos fácil é colocar em palavras o que vivemos, o quanto nos dedicamos nos últimos meses para que este fim-de-semana que passou fosse o sucesso que foi.

Momentos inesquecíveis, concertos marcantes, fizemos novos amigos (alguns certamente para a vida).. Não foi perfeito, mas estamos constantemente a aprender e para o ano será ainda melhor. Falharemos menos. De qualquer maneira, foi um fim-de-semana único e apesar de todo o cansaço (e o trabalho de pós-produção o qual já começamos), estamos muito muito felizes e com a sensação que demos tudo o que tínhamos.

Muito obrigado a todos os que, de perto ou de longe, acreditaram no Amplifest. Obrigado a todos os que marcaram presença criando uma atmosfera realmente única e saudável. Foram várias as bandas a elogiar o público, o seu comportamento civilizado e dedicação. Parabéns a vocês! Queremos evoluir e só vocês nos podem ajudar, o Amplifest é de todos nós. Escrevam-nos através daqui ou do e-mail com sugestões, críticas ou partilhem fotos, vídeos, etc.

Para terminar: este é um evento (desta dimensão talvez único em Portugal) sem qualquer apoio, fundo ou patrocínio. Zero, literalmente. Toda a equipa envolvida fá-lo primeiro por amor, amor esse que contraria todos os imprevistos. Nenhum de nós vive disto, todos nós voltamos ontem aos nossos trabalhos da “vida real” mesmo depois de termos deixado o Hard Club perto das 6h da manhã. Não deixando de sublinhar que o público foi maravilhoso, as bandas e artistas envolvidos que deixaram tudo em palco, quero deixar aqui um grande abraço à melhor equipa de sempre: Mónica, Jorge Bastos, Raquel, Joana, Bruno, André Forte, Pedro, Ângelo, Jorge Silva, Maria Louceiro, João, Nuno, Vítor, Dani e Ana. Admiração por todos vocês.

Infelizmente, devido a uma avaria no Hard Club, não pudemos acompanhar as nossas plataformas online como desejaríamos, mas o Amplifest 2012 ainda não terminou e vamos partilhar convosco tudo o que foi dito, fotografado, filmado e, quem sabe, momentos mais intimistas do backstage. Entretanto, o Amplifest 2013 já começou…

Até breve!

André

Comentários

Comentar
  1. Cláudia Silva

    Obrigada à Amplificasom, por todo o esforço e dedicação.
    Foi um fds espetacular, onde tive a oportunidade de passar o meu aniversário com os meus amigos e com boa música.

    Muito obrigada por tudo!

  2. Daniel Sampaio

    A tarefa de superar a edição de 2011 era difícil, mas parece-me que foi muito bem conseguida. Apontando aspectos negativos, há a história da confusão do “dia 0”, a lotação limitada do concerto do Jozef incluir aparentemente bastante gente sem bilhete (isso do que me disseram; eu perdi-o devido ao trânsito infernal), a falta de direcções para chegar ao Mercedes, para quem não o conhecia, e a falta de comida, principalmente no Domingo, por quase tudo à volta estar fechado (uma máquina de vendas à porta já era melhor do que nada). Coisas que a mim me incomodaram mas que pouco têm a ver convosco: sair de White Hills e entrar no ambiente de Bohren foi estranho, e aconteceu o mesmo na passagem de Ufomammut para GY!BE; e a quantidade de pessoas que foi para as salas conversar foi absurda este ano.

    Se parece que estou a implicar com pequenas coisas, é porque nas coisas grandes o Amplifest foi irreprimível :)

  3. Tiago Esteves

    Foi só o melhor fds do ano. Fico contente que para o ano se possa realizar de novo. Fico também contente por se manter este espírito de família que por lá se sentiu. Fico contente por receber uma msg no dia seguinte a perguntar se tinha chegado bem a casa. Fico contente por ver tudo isto a acontecer e a Amplificasom a chegar a mais gente.

    Só um reparo que não tem propriamente a ver com a organização do festival. No entanto, acreditem que para quem não fuma se torna horrível respirar o ar dentro daquelas salas. Mas enfim, isto estará mais ligada à lei do tabaco em PT que é uma tristeza…e bom, também ao civismo das pessoas que pura e simplesmente se estão a cagar para todos os outros.

  4. S.Quartin

    Durante o concerto de Ufomammut pensei que devia dar um abraço a todos os que tornaram possível momentos como a sequência Necro Deathmort + Oxbow Duo (!) + Ufomammut (bem, e o festival todo). Como sou uma pateta que só se sente à vontade a acenar de longe e a ficar com cara de cu (oh André, tenho a impressão que não articulei uma frase nos três dias, desculpa-me a retardação social), deixo aqui o meu muito obrigada a toda a equipa. Grande, grande, grande fim-de-semana!

  5. Gustavo Fernandes

    Quero agradecer à Amplificasom por me ter proporcionado o melhor festival a que já assisti.

    Bandas à parte (isso já vai com cada um), destaco de muito positivo:

    – Diversidade de oferta (concertos + documentários + listening party + exposição);
    – Os concertos começarem praticamente à hora marcada;
    – Permitirem entrar com comida nas salas;
    – A presença dos artistas em palco, apenas e só dos artistas (opinião pessoal, acho muito foleiro ter um palco cheio de espectadores dos lados/atrás/etc, o lugar do público é na plateia);

    Pontos menos positivos:

    – O tão badalado e mais que falado “dia 0”;

    Como sugestões, e já que o principal está garantido (excelentes bandas! excelente música! ), acho que era interessante continuar a apostar nos extras, que tão bem preenchem este festival.
    Os documentários funcionam melhor – e muito bem – ao inicio da tarde (acho que quem aprecia minimamente Ufomammut teve imensa dificuldade em acompanhar o documentário logo a seguir ao concerto, para mim foi uma tarefa impossível por exemplo).
    Talvez afixar alguns dos grandes textos que preenchem este blog, acompanhados de imagens, daria uma excelente exposição também.
    Quem sabe, até palestras/debates/tertúlias subordinadas a um tema musical, com a presença de um ou mais artistas. Claro que exige uma ginástica de horários tremenda, mas acredito que seria muito produtiva.
    Esta ideia também tem alguma logística por trás (e umas pitadas de disparate), mas acho que se o duo Oxbow tivesse actuado no corredor do Hard Club, rodeados de público, teria sido ainda mais brutal.
    Por agora é tudo! hehehe.

    Seria interessante ouvir a opinião de festivaleiros estrangeiros, esta edição já teve alguns e acredito que a próxima venha a ter muitos mais.

  6. Valter Pinto

    A segunda estreei-me no Amplifest e devo dizer mas que Excelente Fds, Muitos Parabéns à Familia Amplificasom
    Também reparei nisso do concerto na Sé em que havia muitos “turistas” que assistiram ao concerto enquanto pessoal que vinha para o festival teve que ficar cá fora, eu incluido. Segundo consta nos proprios panfletos da catedral anunciavam que o concerto era gratuito/fora festival.
    Quanto aos concertos fantástico o de Ufomammut, o meu preferido; Black Bombaim já é a terceira vez que os vejo e parece-me que tão cada vez melhores. Oxbow e Bohren nem precisam de mais palavras.

    Obrigado Amplificasom

  7. T. Ramiro

    O único mal do Amplifest é um gajo passar a semana seguinte em pós-depressão. Obrigado por tudo!