Om – Gebel Barkal 7" [Sub Pop 2008]

Cada tema novo de Om é uma celebração, não há dúvidas sobre isso. Mas, este Gebel tem um motivo extra: a estreia de Emil Amos (Grails) no lugar de Chris Hakius. Ainda é cedo para conclusões e é verdade que o Chris tem/ tinha uma maneira de tocar muito distinta, mas Amos nas baquetas é sinal de uma palete mais rica, minimal mas rica. Quanto ao tema propriamente dito, quase que diria que começa onde o “Pilgrimage” acaba mas peca por ser curto. A voz do Cisneros parecem-me cada vez melhor e agora é só esperar por um novo álbum em 2009. Não me interpretem mal, mas neste momento, esta substituição de baterista é capaz de ser a melhor coisa que podia ter acontecido aos Om…

Comentários

Comentar
  1. Tiago

    Por acaso, como grande (grande) fã de OM e Sleep que sou, achei que a musica esta boa em estudio, e é uma musica que marca uma viragem na parte da bateria que constituia metade de OM. Na minha opiniao Chris, é Chris, e “At Giza”, “Annapurna” sao musicas marcadas tb pela sua bateria. Pelo que vi ao vivo deste novo baterista nao me puxou muito, mas tudo de bom, para uma das grandes revelaçoes de sempre de uma banda.

  2. ::Andre::

    Adoro Om, é daquelas bandas que tenho tudo, mas receei que se não viesse nada fresco eles poderiam estancar. Lamento a saída do Chris, tinha uma maneira muito própria de tocar (e até conversei sobre isto com o Glenn Jones a caminho de Barcelos), mas…

  3. João

    sao as 2 muito boas, acho que a primeira vez que ouvi isto estava a falar com o andré, e assim que entra a bateria digo-lhe, que isto estava mt difrente :p

    o emil tem um estilo mt proprio de tocar, difrente tb do chris. nao sei se será ou não o melhor.

    sei que os senhores da subpop já levavam com uns processos por false advertesing em cima isso já…eu quero uma 7′ :p

  4. ::Andre::

    Jonas, não pretendia passar a imagem que um é melhor que outro pois isso até nem faz o meu género. O que acho é que os Om são uma banda muito “sui generis” e não têm muito por onde se expandir. A entrada do Amos vai trazer ar fresco, espero.