Os Heróis e o Método: A Casa dos Heróis Reformados

null
Sempre achei uma imagem um tanto ao quanto bonita, imaginar os lares ou casas de repouso, como sendo na verdade Casas de Heróis Reformados. Locais que todos quereriam visitar para reverem histórias com aqueles que mais caminhos trilharam na vida.

Em relação aos discos, e porque a palavra Heróis vai surgindo com frequência ao longo destes posts, torna-se interessante listar uma prateleira imaginária de Heróis Reformados – discos que no fundo deram asas às nossas paixões musicais num momento ou outro (de fora ficam alguns nomes da música brasileira dos quais me assumo como devoto, assim como alguns nomes jazz):

Tony Allen – No Discrimination
Can – Tago Mago
Johnny Cash – American V: A Hundred Highways
Leonard Cohen – Songs of Leonard Cohen
Coil – Musick to Play in the Dark 2
Nick Drake – Bryter Layter
Dr. John – Gris-Gris
Emperor – Anthems to the Welkin at Dusk
Faust – Faust
Manuel Göttsching – E2-E4
Isis – Oceanic
Fela Kuti – Roforofo Fight
Magma – Mekanïk Destruktïw Kommandöh
Melvins – Houdini
Mr. Bungle – Mr. Bungle
Os Mutantes – Os Mutantes
My Bloody Valentine – You Made Me Realise
NEU! – NEU!
PainKiller – Execution Ground
Arvo Pärt – Tabula rasa
Pere Ubu – The Modern Dance
Pink Floyd – The Piper at the Gates of Dawn
Ramones – Ramones
Refused – The Shape of Punk to Come
Steve Reich – Music for 18 Musicians
Erik Satie – 3 Gymnopédies & Other Piano Works (Pascal Rogé)
Satyricon – Volcano
Gil Scott-Heron – Pieces of a Man
Sepultura – Arise
The Sonics – Here Are The Sonics!!!

Sintam-se à vontade para listarem outros nomes nos comentários…

Comentários

Comentar