Oxygen @ B-Flat, 12-10-2006

Apetece-me dividir este concerto em quatro pontos:

Começo por perguntar se hoje em dia ainda há alguém com vontade de ir a um bar “descobrir” ou conhecer uma banda? Cada vez mais vejo as pessoas na conversa o tempo todo. Incomodativo. Ainda por cima quando um concerto pede silêncio, que foi o caso de ontem.

O B-Flat era um espaço agradável. Digo era pois as novas instalações tão muito longe daquilo que foi o antigo espaço. Não há decoração, não há nada que o distinga. Metam uma mesa de bilhar lá no fundo e não fica muito diferente do Café Leixões. Não sei qual é a vontade ou o objectivo de cada um mas se eu tivesse um bar queria-o diferente, queria-o único. Olhem para o Tertúlia Castelense, por exemplo. Os preços estão na média, não deu para tirar grandes conclusões do som por causa do estilo da banda, e agrada-me que tenham uma agenda eclética. Mas há que fazer mais, Matosinhos merece um ponto de referência. O Blá-Blá está adormecido há anos, O B-Flat tem muito a fazer e, bem, o Estado Novo (se é que ainda se chama assim) parecia estar cheio……

Este concerto foi um filme-concerto, coisas diferentes portanto. O filme apresentado foi o “Decasia” do Bill Morrisson e tenho a dizer que é um exercício abstracto, algo confuso e demasiado longo. A mensagem está lá, não a consegui captar mas está lá.

Posto isto, falta-me falar do mais importante: a banda. Os Oxygen são uma banda portuense e estão numa fase de remodelação. Editaram um álbum há uns dois anos talvez mas desde aí tiveram várias mudanças ao nivel da formação. Hoje em dia são apenas dois elementos: Hélder Costa no baixo e keyboards e Nuno Maciel no laptop e outros “instrumentos” relacionados com a música deste projecto.
A tarefa não era fácil. Se por um lado o facto do filme ser abstracto lhes dava margem de manobra, por outro o facto de ser longo (70 minutos) tornava-o muito exigente. Teve altos e baixos mas a sensação que se fica é que eles cumpriram, estão sem dúvida de parabéns. Em certas partes senti que as imagens e o filme se fundiam, não penso que deva haver melhor elogio.

Não sei quando o novo álbum será editado mas há aqui material que não pode nem deve ser posto de lado, é a minha opinião. Os Oxygen estão no bom caminho e sábado repetem a dose na Fábrica de Som. Confirmem.

http://www.myspace.com/0xyg3n

Comentários

Comentar
  1. Crestfall

    Não sabia deste concerto. O antigo B-Flat era um espaço simpático… “e sábado repetem a dose na Fábrica de Som” era um excelente motivo para ir conhecer aquilo, mas amanhã há comets :-s

  2. PoisonGodMachine

    Fui uma vez ver um concerto (duns colegas) ao B.Flat, inchei 10€ de entrada mais o preço astronómico de cada cerveja… assim, não dá!

    Não digo que seja fácil gerir um bar, mas esta filosofia de “facturar a qualquer custo” não ajuda lá muito.

    Quanto a este anonymous… pensei que tinham filtrado os comentários apenas para subscritos ao Blogger.
    Foi essa a única razão pela qual abri um blog! :P

  3. ::Andre::

    Ontem custou 3€ para o concerto + 3€ de consumo obrigatório, sábado custará 8€ + 2€ consumo minimo…. Só no mercedes pagas o bilhete e ñ és obrigado a pagar mais nada. Vês o concerto e sais sem a obrigatoriedade de consumir.

    Jorge, tens que ir à Fábrica um dia destes. Eu vou-te dizendo quem lá vai tocando…

  4. ::Andre::

    Esqueci-me de referir o horário. Se é a uma sexta ou sábado tudo bem, agora um concerto começar perto da meia noite a uma quinta-feira é muito cansativo. A verdade é que para a semana toque quem tocar eu ñ estarei disponivel para me deitar outra vez às 2h da manhã, adivinhem quem perde?