Pedrinhas no charco

Este fim de semana fui ver os Depeche Mode com a Sofia. O concerto foi engraçado. Mais uma vez o Corbijn criou um concerto visualmente perfeito e os DM estiveram iguais a eles mesmos.
Embora não seja fã, é daquelas bandas que vale a pena ver ao vivo pelo menos uma vez… Nós já os vimos 5 ou 6.

Desta vez não estivemos com coisas e acabámos por assistir na bancada. Nunca tinha assistido a um concerto na bancada.

Há cerca de 20 anos quando ia a um concerto dava-me um gozo incrivel ir a correr para o Mosh-Pit e passar metade do concerto aos pulos e aos encontrões. Lá chegava a casa com um olho negro, uns óculos partidos, umas calças rasgadas mas com a sensação de dever cumprido. Para ouvir a música ouvia em casa… os concertos eram outra coisa, um mundo à parte.

Com o passar do tempo comecei a afastar-me da confusão e a ficar um bocado mais atrás. Ainda apanhava com o pessoal dos encontrões mas limitava-me a empurrar para a frente. Com a honrosa excepção de um concerto das Babes in Toyland num tasco na ribeira, em que até stage diving acabei por fazer.

Mais tarde comecei a afastar-me ainda mais. Em Paredes de Coura comecei a ver os concertos mesmo cá em cima, no coliseu ficava ao lado da mesa de mistura… Enfim, desde que haja uma parede ou bar para estar encostado, estou bem.

No sábado, enquanto o Martin L. Gore cantava o One Caress dei comigo a pensar nisto e a comparar o meu posicionamento nos concertos com o efeito que uma pedra faz ao cair num charco. Aquelas ondinhas concêntricas que se afastam gradualmente do centro fazem-me lembrar o meu gradual afastamento do local da acção.

Quando saimos do concerto e vi os carros estacionados cá fora com os pais à espera da criançada, dei comigo a constatar que daqui a algum tempo já não vou estar na bancada, vou estar cá fora no carro à espera que as miudas saiam, para as levar para casa.

Comentários

Comentar
  1. Scapegoatt

    Penso que é um processo natural, em que a maioria deve passar pelo mesmo. Se bem que ainda goste de me contorcer todo com som ao vivo =) Acho que o concerto em que sai com as maiores mazelas, foi Pantera em 94. Normalmente quem esta na frente de combate apanha mais no cortiço. Mas neste concerto, isso foi impossivel. Para terem uma ideia do que estou a falar:

    http://www.youtube.com/watch?v=qu823o7NKkQ
    Só me resta dizer, HOLY SHIT!!!!

  2. ::Andre::

    Os tópicos deste gajo fazem-me sempre sorrir :)

    Nunca deixarás de ir a concertos pá!! Podes ir levar e buscar as miúdas, mas nunca deixarás de ir a concertos!!

  3. ::Andre::

    E btw, acho que não é um processo natural relacionado com a idade, mas sim com tudo aquilo que já viveste. Hoje, mais maduro, aprecias o concerto de maneira diferente, melhor até. E viste os Depeche seis vezes, é normal desta vez teres optado pela bancada e disfrutado do concerto relaxadamente na companhia da tua mais que tudo.

  4. Crestfall

    Ahahahahah. Sim, vais levar as miúdas aos Backstreet Boys ou Tokio Hotel da altura, mas nunca hás-de deixar de ir a concertos.

    Eu continuo a gostar de estar o mais perto possível do palco, já não tenho é muita paciência para levar com pessoal em cima. A última grande maluqueira foi o ano passado em Converge m/. A maior dose de porrada que apanhei foi em Ratos de Porão no pavilhão de exposições de Gaia. Os concertos de desses gajos são sempre para doer.

    Pantera em Cascais!!! Lembro-me perfeitamente de não ter ido :(

  5. ::Andre::

    Converge maluqueira?! Maluqueira maluqueira foi ter ido este verão a um concerto/ bailarico em Vilarandelo, foi uma das maiores porradas de sempre. Surreal, nem queria acreditar no que via e ouvia. Converge foi um docinho comparado com isso. Mas olha lá, para o ano vamos a Londres ver DEP e ficamos bem lá à frente!!!

  6. Scapegoatt

    Crestfall, tb tive nesse dos RDP em Gaia :) Mas o mitico concerto deles no Incrivel Almadense, houve porrada da grossa mesmo. Punkalhada e Metalheads à mistura. Pior que um cocktail molotov :P Até existe aquela foto muito conhecida dum gaijo a mandar-se da parte de cima. :O
    Não concordo em parte com a situação da idade. Se fizesse o que fazia antes ficava 15 dias ligado às máquinas :D
    É obvio que não estou a falar de concertos dos D.Mode, com o devido respeito pela banda que aprecio tb.

  7. José

    Backstreet Boys ou Tokio Hotel??? Nem me quero lembrar dessa possibilidade…
    Grande concerto com as miudas foi a Rua Sésamo ao vivo, mesmo à frente… ainda dei um passou bem ao becas e ao monstro das bolachas!

  8. Susana Quartin

    "Mas olha lá, para o ano vamos a Londres ver DEP e ficamos bem lá à frente!!!"
    Eu vi DEP das grades no ermal, e o meu pai também :3. [A minha mãe conseguiu fugir a tempo, mas também lá estava, haha].

    Quanto ao "posicionamento" depende muito de concerto para concerto, e acho que vai continuar a ser assim. Por exemplo, em Down tentei MESMO ficar nas bancadas (tinha voltado no próprio dia de barroselas), mas mal ouvi o primeiro riff levantei-me e fui para a plateia :P.

  9. Crestfall

    Ahah Londres ver DEP? Os DEP Vêm cá!!

    Yha, não tive no almadense, mas tinha essa concerto numa tape VHS :D

    Susana, o teu pai viu DEP no Ermal nas Grades? :s Ah homem!