Peorth – Fortune Presents Gifts Not According To The Book (Dead Can Dance)

Descobri os Dead Can Dance – este album em particular – na mesma altura em que se fez um certo clique que me levou pelos fascinantes (e por vezes tortuosos) trilhos das Artes Herméticas e relacionadas.

Recordando, foi uma altura bonita da minha vida.

E bonita é esta música também.

Canta o Brendan que a Sorte nos presenteia de um modo nem sempre justo, ou da melhor maneira; a runa Peorth trata destes assuntos precisamente, dos da Sorte.

O significado do seu nome ainda é matéria de debate, sendo que o mais aceite aponta para um copo ou taça usada num jogo de dados – possivelmente refere-se ao jogo katrutafl, a adaptação germânica do jogo romano duodecim scripta, um jogo muito similar ao gamão moderno.

O jogo era uma actividade muito séria para as gentes da altura, pois a Sorte – ou mais exactamente a hamingja – era um reflexo não só do destino individual traçado pelas nornas, mas também de uma espécie de repositório colectivo (do clã, da aldeia, tribo, etc) que podia ser aumentado ou diminuido de acordo com as acções levadas a cabo por cada indivíduo desse mesmo colectivo.

Assim, ter azar ao jogo era fatalmente sinónimo de fazer parte de um colectivo desvirtuado ou abandonado pelos deuses.

Snorri Sturluson descreve em detalhe (na Edda em Prosa) o Valhalla e como os Einherjar (os caídos em batalha que aguardam junto de Odhin pelo Ragnarokr) passavam os dias a combater uns contra os outros enquanto que, à noite, celebravam comendo, bebendo e jogando.

O poema rúnico Anglo-saxónico diz o seguinte sobre esta runa:

“Peorth is always play and laughter
Where warriors sit boastful
In the beer-hall together.”

Estas imagens dos guerreiros que juntos combatem e jogam faz-me pensar que a Peorth é uma metáfora para as probabilidades na vida.

Num jogo podemos ganhar ou perder e, igualmente, numa batalha, vencer ou ser derrotado.

——

Brendan Perry estará a solo em Portugal nos próximos dias 14 de Março em Lisboa, no Santiago Alquimista e em Braga, no Theatro Circo, no dia 15.

Comentários

Comentar
  1. Saturnia

    Uma das minhas referências.
    Dia 15 encontramo-nos por lá.

  2. Rodolfo

    por acaso, não sei se nos encontraremos – face a um conjunto de despesas inesperadas que me têm lixado um pouco as minhas actividades de lazer… mas ainda quero ver se sim :)

  3. ::Andre::

    Um dia destes aventuro-me a sério a explorar os Dead Can Dance…

  4. Saturnia

    André faz isso o mais rápido possível!!
    Vais ver que depois ficam a fazer parte da tua vida..
    Aventura-te homem sem medo =)