Resistentes

Todos nós tivemos bandas que ouvimos até à exasutão, ao ponto de fazerem parte da nossa história, mas que não tiveram grande sucesso para as massas. Eu coleccionei bastantes, e hoje passados estes anos reconheço que algumas envelheceram bem, ou provavelmente estavam bastante à frente da sua era. “The most underrated metal bands ever!” – pelo menos no meu livro.

Holy Terror
De longe a minha maior referência em thrash. Muito abaixo de Testament ou Slayer em popularidade, esta banda conquistou-me quando tive acesso à compilação Speed Kills 4 de 1989. Na altura emprestaram-me o LP completo (obrigado Julião) que passou para K7 de culto até se perder e ser subtituída por CD e recentemente por vinil (edição nova e a original de Terror and Submission e Mind Wars).

Hoje pode parecer um som bastante datado (bastam os “solas tu primeiro, que eu solo depois e alternamos que é fixe e o pessoal gosta” – típico do fim da década de 80) mas Holy Terror é aquela banda que, numa altura onde tudo soava ao mesmo, tiveram a felicidade de encontrar um vocalista que tinha referências diametralmente opostas aos outros elementos – dizia-se sobretudo fã de The Who.

Lembro-me de uma review da Metal Hammer da altura que os tratava como uma banda mediocre, e certamete não estão à altura de uns Slayer, mas recomendo que ouçam mesmo o Mind Wards de início ao fim. Após estes anos todos, o tema A fools Gold / Terminal Humor é o que provavelmente estava mais a frente.

Reuniram-se em 2008 para uns concertos (sem o vocalista original que está desaparecido) e são a banda de metal mais underrated ever!

Anacrusis
Anacrusis não é uma banda fácil: a voz tem um registo que afasta segunda audições, mas o CD Manic Impressions é um caso sério. Foi uma das centenas de bandas que o António Sérgio promoveu no lança chamas, e numa altura em que o Gothic dos Paradise Lost e o Badmotorfinger dos Soundgarden captavam todas as atenções, Anacrusis ficou muito naturalmente para trás.

A banda fez uma remistura deste CD em 2006 que falha miseravelmente em ser mais relevante do que a mistura original.

Confessor – Condamned
Em 1991 música nova era sinónimo de ver o Headbangers Ball e gravar os videos para depois ir digerindo com calma em VHS. Os Confessor foram uma das bandas cuja voz custou imenso a entrar, mas este baterista tornou o tema um clássico.

Kyuss
Não serão ilustres desconhecidos (pelo menos hoje em dia), mas eu intoxiquei-me absurdamente com os kyuss durante anos (até Tool surgir) foi um loop absolutamente infernal ao ponto que os deixei de ouvir por saturação. E se hoje têm o reconhecimento que merecem, na altura conhecia poucos que deixavam caír o queixo quando se falava de kyuss (olá Camaraman Metálico :)


Pan-Thy-Monium – Khaoohs & Kon-Fus-Ion

Projecto de Dan Swano que na altura parecia puxar demasiado a corda – com o uso de saxofone e voz death metal do piorio. Ouçam lá para os 5 minutos até ao fim e comprovem como isto ainda soa bem e actual.

Cynic – Focus
Não será particularmente desconhecido à maioria, mas este CD foi um caso único que surgiu em pleno período de Death Metal com elementos de jazz e uma voz digitalizada. Imensos músicos viram no Focus um lufada de ar fresco e até hoje se sentem influências (eu costumo chamar os Intronaut os filhos de Cynic, especialmente a nível do trabalho de baixo).

The 3rd And The Mortal – Painting on Glass
Painting on Glass é um dos álbuns fundamental (e bastante esquecido) do metal experimental e ambiental (quase que diria que nem pertence à categoria metal). De uma sensibilidade notável, este é provavelmente é o trabalho que merecia estar em todas as colecções em casa. Fundamental.


Celestial Season – Solar Lovers

Tirando o violino e alguns elementos que facilmente os cristalizam nos anos 90, esta banda soa particularmente bem e fresca após estes anos todos. Pyogenesis teve mais reconhecimento que Celestial Season e não me parece que hoje os consiga ouvir tão bem como este CD.

Only Living Witness – Innocents
O CD Innocents (1996) entrou para a minha colecção numa série de promos que a Century Media oferecia frequentemente. Não sendo propriamente um estilo de música que consumia, o hardcore dos Only Living Witness era de tal forma contagiante com algumas pitadas de peso sabbathiano que durou durante anos na minha playlist e ainda é revisitado ocasionalmente. Se são fãs de Corrosion of Conformity (era Deliverance) isto está no mesmo degrau mas com uma produção mais suja e crua. Recomenda-se o download.

Devem certamente conhecer igualmente uma música com a voz de Only Living Witness, convidado dos Converge em Grim Heart / Black Rose

Reuniram-se igualmente em 2008 para uma série de concertos bastante concorridos.

E por aí? Que resistentes recomendariam?

Comentários

Comentar
  1. tiagón

    fuck yeah Confessor! mesmo problema com os vocais aqui (à exceção de "Defining Happiness", perfeita), e ainda hoje jamais surgiu uma banda com proposta parecida. Anacrusis, outra boa lembrança — banda verdadeiramente pioneira.

    minha lista de "most underrated" teria o Opressor (http://www.youtube.com/watch?v=-PP7Vsc8u4g) e o Place of Skulls (http://www.youtube.com/watch?v=xln1phR2Zzs) – além de Gorguts, Lykathea Aflame e Spiral Architect, que arranjaram alguma notoriedade cult, ao menos.

    falando em Place of Skulls, já escutaste o Memory Driven? coisa finíssima. http://www.myspace.com/memorydrivendoom

  2. Adriano

    Hey,

    Grande tema esse dos Opressor! :D

    Não conhecia os memory driven! vou ver se encontro para download.

    a,

  3. jorge silva

    do que te foste lembrar!

    holy terror sem dúvida e no topo. são um dos poucos que quando regressam ao meu leitor de mp3 acabam por ficar lá muito tempo.

    sanctuary – por muito que se fale de nevermore, e estes possam ser superiores à sua anterior encarnação, nunca os nevermore me bateram tanto como os sanctuary. são um daqueles grupos que possuo o vinil e o cd.

    sabbat – quando o thrash estava super saturado apareceram estes miúdos ingleses com uma técnica do caraças e letras inteligentes (algo raro na altura). só me refiro aqui aos dois primeiros álbuns porque o terceiro nem conta! o "history of a time to come" e o "dreamweaver" também estão na minha colecção nos dois formatos e ainda estou para comprar as remasterizações. devo o conhecimento mais aprofundado destes senhores à minha cara-metade, que era a única fanática deles que eu conheci na altura.

    no que toca a escolhas dentro das discografias de outros nomes:
    celtic frost – into the pandemonium
    os my dying bride continuam a vir parar à minha colecção a cada novo lançamento, mas o "turn loose the swans" é inultrapassável.

    e por agora acho que fico por aqui.

  4. Adriano

    Jorge,

    Subescrevo os Sanctuary serem mais memoráveis que os Nevermore (em especial a White Rabbit que ainda hoje roda mentalmente http://www.youtube.com/watch?v=zLeO003g6Dc).

    Sabatt também foram uma banda que ouvi imenso (especialmente o history of a time to come).

    Só não referi o Turn loose the swans pois foi um sucesso massivo (digo eu) mas como dizes é inultrapassável :)

    a,

  5. Scapegoatt

    Aqui vão alguns albuns da decada de 90 que me marcaram, e que penso que nem todos conhecem:

    Pist on – Number 1
    Life of Agony – River Runs Red
    In the Woods – Omnio
    Iron Monkey – Our Problem
    Merauder – Master Killer
    Skinlab – Bound, Gagged and Blindfolded
    Witchery – Restless And Dead
    Prong – Cleansing
    Solitude Aeturnus – Beyond The Crimson Horizon
    Solstice – New Dark Age

  6. Scometa

    Excelente posta! Confessor passou-me ao lado, vou já tratar de colmatar essa falha.

  7. Susana Quartin

    Pan.Thy.Monium e Celestial Season (só conheço o solar lovers e até o tenho original :x)! Grandes bandas.

    Continuando na cena sueca, conheces os Carbonized? E descendo até à holanda, os Phlebotomized?

    São 3 bandas que conheci na mesma altura e que acho que merecem tão, mas tão mais reconhecimento.

    Continuando no death (porque se vou pensar em mais géneros fico aqui uma eternidade), bandas mais 'recentes' que são tão underrated que até dói e estão sem dúvida no meu topzeco "The most underrated metal bands ever!": !T.O.O.H.! e Lykathea Aflame/Apalling Spawn.

  8. Susana Quartin

    ("continuando na cena sueca" —> Pan.Thy.Monium)

  9. \m/afarrico

    Memento Mori – o regresso falhado do Messiah Marcolin

    Pestilence – tal como os Cynic experimentaram e caíram em desgraça

    Martin Walkyier – génio musical que escreveu algumas das melhores letras de sempre do metal. Para quem não conhece ouça Sabbat, Skyclad e The Clan Destined.

    Há mais mas esqueci-me

  10. Saturnia

    Olha Kyuss, Celestial Season, Cynic e 3rd and the mortal!!!

  11. Crestfall

    Olha Kyuss, Celestial Season, Cynic e 3rd and the mortal!!! x2
    E até não detestei o MCD de Celestial Season quando viraram post-grunge.

    Os 2 primeiros discos de Pyogenesis!