Ressurreição

 

Corriam os anos 90 quando conheci o António José da Cunha e a banda de Braga onde cantava, Um Zero Amarelo.

Pouco tempo depois lançavam um disco ( primeiro e último) homónimo.

Passados 12 anos do lançamento do álbum, pouca gente fala de UZA, sobretudo os mais novos, ainda que uma breve pesquisa na internet revele um pequeno grupo de fãs organizado e fiel às músicas intimistas.

Não será difícil perceber o porquê de se terem tornado célebres, sobretudo em Braga e um pouco por todo o Norte do país, Carlos Fortes ( ex-guitarrista e compositor dos Mão Morta) faz um trabalho de excelência, compondo e arranjando as músicas onde António José da Cunha se desnuda em letras cantadas em português e roçando a genialidade.

O título do artigo pascal refere-se ao facto de a banda se voltar a reunir numa versão redux, tocando em Guimarães no âmbito do programa da capital europeia da cultura a 19 de Maio depois de tantos anos morta.

A ressurreição desejada e esperada aconteceu e para quem nunca ouviu, aqui fica o link e a letra de um dos temas para que se perceba porque falo em genialidade.

http://www.nme.com/nme-video/youtube/id/vsaHit1cnPQ/search/um-zero-amarelo

quem me fez querer sem desejar
quem me fez cantar tristezas e chorar
pudesse eu morrer, sem nunca saber

quem do tempo frio o calor fez
quem lançando chispas se desfez
tão sábias mentiras me dão o que tiras

já nem sei se hei-de partir ou ficar
deixar-me levar à terra onde o sol se deitar

quem num sonho mau me despertou
quem de um sonho muito mau gritou
levantando a mão ao meu coração

quem deixei fugir sem me deixar
levar até ao fundo e galopar
todo o tempo é pouco
cavalinho louco

já nem sei se hei-de partir ou ficar
deixar-me levar à terra onde o sol se deitar
deixar-me guiar à terra onde o sol dormir

vou ficar como um cavalo louco
suando a vontade de continuar
olhos mirando o poente quando o sol se deitar
uns dias sim, outros dias não
melhores dias virão …….

vou partir como um cavalo louco
cruzando o asfalto a transpirar
freio nos dentes rumando até onde chegar
uns dias sim, outros dias não
melhores dias virão …….

 

 

 

 

 

 

Comentários

Comentar