Russian Circles + Deafheaven + THISQUIETARMY: assim foi

Jorge Silva

Jorge Silva

Jorge Silva

Jorge Silva

Jorge Silva

Jorge Silva

Jorge Silva

Jorge Silva

Jorge Silva

Jorge Silva

Jorge Silva

Jorge Silva


Fim-de-semana altamente especial. No sábado, no Hard Club, os Russian Circles bateram o recorde de assistência em Portugal e não esconderam a satisfação daquele dia e noite tão bem vividos. É como se fossem da casa, mas considerarem-no o topo de uma tour que cobriu toda a Europa é bem agradável de se ouvir. Em relação à primeira parte, esperamos que tenham gostado tanto como nós pois queremos repetir os Deafheaven e eles querem voltar o mais breve possível. No domingo, o tipo de viagem foi outra. Num final de tarde intimista no Oporto Gallery Hostel, muitos de nós fechamos os olhos e deixamos que Eric Quach nos conduzisse pelas camadas de sons.
Fim-de-semana ecléctico e com o selo da Amplificasom. É para repetir. Obrigado a todos.

Comentários

Comentar
  1. Sérgio Rodrigues

    Russian Circles foi enorme, monumental!
    Já sigo o trabalho deles há algum tempo mas foi a primeira vez que tive hipótese de os ver ao vivo e gostei mesmo muito.
    A actuação do baterista Dave Turncrantz vai ficar na minha memória para sempre como uma das melhores que vi ao vivo, bem juntinho às que tive oportunidade de assistir do grande Gavin Harrison dos Porcupine Tree, apesar de serem estilos muito diferentes.
    Quanto a Deafheaven achei que deixaram uma boa impressão apesar da saturação do som na sala, que não permitiu que se apreciasse devidamente o jogo das duas guitarras.

  2. naSum

    Foi muito bom. Russian circles estiveram impecáveis apesar de não terem tocado as minhas favs…Deafheaven…concordo que as guitarras podiam estar melhor, mas mesmo assim senti bué o concerto. Adorei <3

  3. André

    Fiz o pleno 4/4!
    para mim foi a melhor prestação de todas.
    a 1ª no barco, enfim, foi a 1ª, e a do plano B teve o seu Q de mais intimista.

    mas a prestação deste fds contou com o setlist de melhor qualidade e foi a mais poderosa.

    obg amplificasom
    andré