Russian Circles: uma semana depois e já temos saudades

Cláudia Andrade

Cláudia Andrade

Mesmo que permaneça na memória o momento em que uns desconhecidos Russian Circles se estrearam em Portugal, ou a ocasião em que encerraram uma das edições do mágico e incomparável Amplifest, este terá sido o momento em que mais se suspirou para que “Youngblood” não fosse o aceno final da despedida.
in Ponto Alternativo

Na impossibilidade de escolher um momento alto porque, na verdade, a intensidade foi igual do início ao fim, o encore com Youngblood foi o final perfeito para um concerto irrepreensível. Tal como todos os concertos da banda.
À saída contavam-se os concertos de Russian Circles que já se tinham visto. Quatro, cinco ou mesmo seis, para alguns. E este foi igualmente bom. O melhor sinal de que já não podemos passar sem eles é pensar que podiam voltar já para a semana que lá estaríamos novamente, a viver as coisas com a mesma vontade e expectativa.
in Arte-Factos

Os Russian Circles regressaram a Portugal esta quinta-feira, para um concerto arrasador no RCA Club, em Lisboa. Mas a sala de espetáculo, perfeita para o som inigualável do trio norte-americano, rapidamente se tornou pequena para o número elevado de fãs que os esperavam. Afinal, de concerto para concerto – sempre únicos –, os Russian Circles têm vindo a aumentar o número de admiradores, ou não fossem eles irrepreensíveis, seja ao vivo ou em estúdio.
in Palco Principal

No final, a sensação era de coração cheio, depois de uma noite num ambiente familiar e de envolvência única. Sentimo-nos acolhidos nos acordes melódicos e sombrios dos Russian Circles e no final foram muitos os que ficaram à conversa com os elementos do trio.
in Ruído Sonoro

Saímos do RCA felizes, vimos um excelente concerto, mais uma excelente noite com selo da promotora Amplificasom, fizémos amigos novos e falámos com conhecidos com os quais já não falávamos há meses. Uma quinta-feira feliz, pois não é todos os dias que se vê os Russian Circles e se pode falar com Brian Cook (também membro dos Botch e dos These Arms Are Snakes) sobre música e outros encantos.
in WAV

Dificilmente existirão muitas bandas capazes de conseguir uma ligação tão intensa com o seu público sem dizer sequer uma única palavra desde o momento que entram e abandonam o palco, a música quando é de outro mundo não precisa de mais nada.
in Notas à Solta

Poucas horas antes de começar, fora anunciado que o concerto de Russian Circles se encontrava esgotado, dando a prever um RCA Club a abarrotar para receber a banda de Chicago. Sendo já uma presença regular e muito acarinhada por terras lusas, a casa estava a rebentar pelas costuras e com as expectativas na mó de cima.
in Festivais de Verão

Uma noite repleta de melodias pesadas, mas que, ainda assim, demonstrou que os Russian Circles têm muita paixão a correr nas veias.
in Strobe

Comentários

Comentar