SANCTA VISCERA TUA

12 de Abril 2014, 21h30 Igreja de Santa Clara, Porto
16 de Abril 2014, 21h30 Igreja de São Francisco, Guimarães

A tua víscera sagrada, é um convergir de pessoas, arquitecturas e intenções que em conjunto, procedem a uma reencenação do invisível.

Peça sonora e cénica construída a partir dos arquétipos presentes na estrutura de uma Via Sacra – literalmente percurso sacro – que na sua génese propõe a re-encenação do sacrifício; numa celebração que é também vestígio dos mais primordiais ritos de transformação e mediação entre materiais e sentidos.

Este percurso que é uma estrutura organizacional e temporal, oscila entre estímulos que ocorrem em planos distintos, abordando o sacrifício enquanto elemento visceral que acompanha trans-culturalmente a mediação colectiva humana entre a matéria e a anima. Uma construção vibracional de som, gesto, luz e voz.

A voz enquanto organismo primordial constituído por uma extrema visceralidade, estabelece-se enquanto fluxo sonoro que transforma pela matéria o sentido, filtrando pelas suas cavidades internas ruídos, vibrações e ímpetos. A voz rude, como potência de evocação e intenção, surge como emissor de sinal que intercepta a arquitectura da Igreja, pela ressonância das suas reentrâncias, reconectando as dimensões mais telúricas do canto colectivo, com o impacto na matéria.

SANCTA VISCERA TUA surge no seguimento de uma série de composições para massa coral e espaço, desenvolvidas desde 2010 (TEUFEL*RADARMASS/Berlim, KHŌROS ANIMA/CEC Guimarães 2012 e TUNNEL VISION/Tzadik) e que juntam um trabalho específico sobre os espaços ressonantes, pré-linguagem, autopoiesis, e os territorios intangiveis estudados pela Física contemporânea, na organização e elaboração de peças sonoras em movimento.

Comentários

Comentar