There’s something alive in here… – Luke Skywalker

When you’re feeling angry, or sad, or maybe when something makes you feel afraid; do you ever make up a dance and stomp your feet, or punch an old pillow? Or do you have a loud song that you can sing when you’re angry? Here’s some loud music which just sounds like it’s saying: I’m angry, I’m very, very angry.

(in Noothgrush – Dianoga)

Numa conversa sobre sludge, Noothgrush será provavelmente a primeira palavra a sair-me da boca. Não serão das bandas mais importantes da cena, mas estão no topo das minhas preferências no que toca a angry-doom podre dos pântanos. O que é que não há para adorar numa banda cujos temas centrais das letras são, citando o last.fm, self-hatred, general misanthropy e Star Wars? É verdade, Star Wars. Títulos como Dianoga, Alderaan, Jundland Wastes, Sith, já para não falar da cover altamente épica da Imperial March, não deixam margem para dúvida.

Embora tenham estado activos durante cerca de oito anos e participado numa quantidade admirável de splits (com bandas como Corrupted e Dystopia), nunca lançaram um full-length a sério – Erode The Person era para ter sido o tal, mas na altura acabou por sair com faixas adicionais de splits anteriores, tornando-se mais numa compilação que outra coisa.

A razão pela qual decidi falar desta gente agora já deve ser conhecida de muitos: o catálogo da banda estava out of print há algum tempo e este ano, entre novos lançamentos e reedições, vão sair seis LPs/CDs de Noothgrush, e o mais importante destes lançamentos já está disponível: Erode The Person LP, como devia ter saído em 1999, limitado a 500 (os interessados podem encomendar daqui).

(Ainda não tenho o meu por isso não há gata do doom com lágrimas de felicidade.)

Como se tudo isto não fosse suficientemente bom, voltaram a tocar ao vivo. Deram o primeiro concerto no passado dia 15, com os míticos Winter, e têm mais três datas agendadas (incluíndo uma no Maryland Death Fest). Além destes, parece que a banda quer tocar no próximo Roadburn, portanto espera-se que façam uma pequena tour europeia em 2012.

No Kill That Cat (tinha de ser), já está um vídeo de algumas músicas (6) do primeiro concerto em 10 anos, e começa precisamente com a Dianoga. Demora um pouco a carregar mas vale mesmo a pena.

Comentários

Comentar
  1. Susana Quartin

    Está a olhar pela janela, à espera que o carteiro venha entregar o vinyl.