Ursos, esqui, sexo e salsichas

Recordações de uma semana na Lapónia:

 

1- Nunca estive tão perto de um urso, ou sequer da possibilidade de ele aparecer, como na Lapónia. Enquanto dormíamos numa cabana que nos protegia dos  – 25 graus nocturnos, por entre as infindáveis bétulas brancas e pinheiros que povoam as florestas do norte da Finlândia, um urso andava pelas redondezas. Mesmo não o tendo ouvido – só soubemos da sua existência quando de manhã nos vieram trazer comida e nos referiram que os vizinhos a cerca de 2 kms tinham afugentado o bicho do lixo – impôs respeito e quase que o podíamos cheirar. Como o w.c. era exterior à cabana e bem perto do lixo, as idas à casinha eram sempre rápidas e pouco prazerosas.

2- Ursos à parte, o cenário que podem comprovar pelas fotos é deslumbrante: tínhamos um lago de 14 kms de diâmetro quase a perder de vista. Nesta altura do ano ele dorme sob uma camada de gelo e neve com mais de um metro. Aqui e ali vêem-se pescadores a perfurar o gelo e a lançar o isco com canas minúsculas. Pouco mais há a fazer por estas bandas, sobretudo durante o inverno, que para os lapões só termina lá para meados de Maio.

3- Durante o dia esquia-se ( cross-country) no lago e come-se salsichas na fogueira. As florestas estão com mais de um metro de neve, o que torna os passeio desaconselháveis e perigosos. À noite volta-se a comer salsichas e depois dorme-se. .

4- O sexo é uma forma agradável de passar o tempo e é, depois da sauna bi-diária, a melhor forma de combater o frio. Dois em um também é interessante, mas pode ser perigoso, tudo dependendo do intensidade e calor do fogo que têm na sauna.

 

Comentário

Comentar