Uruz – Moth (Acre)

A runa uruz está associada ao bovino cósmico Audumhla e este, ligado intimamente ao gigante Ymir, que foi o primeiro dos gigantes bem como a origem do primeiro homem e mulher.

Foi através do leite de Audumhla que Ymir se alimentou e foi com o gigante Ymir (com o seu corpo, literalmente) que os três deuses Vili, Vé e Voden (Odhin) fizeram o Mundo.

Esta vaca é a materialização simbólica das tensões criadoras do Fogo e Gelo eternos; ela está no Ginnungagap, no berço de todo o potencial da criação.

Recentemente descobri o Sr Aaron de Portland, que sob o nome de Acre nos presenteia com drones minimalistas e hipnóticos.

Usando um sampler, algum feedback da mesa de mistura e diversos processadores de efeitos, Acre é uma exploração que expande os limites da consciência dos seus ouvintes.

O tema que associo aqui à runa uruz é o Moth (do album Candyflipping), cujo panning inicial (entre outras coisas) evoca em mim a imagem das forças antagónicas do
Muspelheim e do Niflheim a convergir para o abismo primordial, do qual surge um princípio ordenado.
De igual modo, nesta música o som original vai começando aos poucos a (re-)construir-se em pequenas camadas uniformizantes estruturadas que denotam um ordenamento superior.

Comentários

Comentar
  1. ::Andre::

    Não fosses tu e a review na Wire tinha-me passado ao lado…

  2. Rodolfo

    eu já nem me lembro onde ouvi isto… acho que foi por aí na internet, algures.

    (mas é uma boa cena não é?)