Visão DOOMundo: Quando a magia acontece

Somos viciados em música, somos viciados em concertos, necessitamos de música e de concertos para nos sentirmos preenchidos. Ouvimos as bandas em casa, consumimos, mastigamos e deciframos os álbuns. O desejo de ver essa(s) banda(s) ao vivo é enorme!! Pesquisamos concertos em Portugal e fora de Portugal, em festivais, numa cidade com voos baratos, enfim por aí. Chega o derradeiro dia em que surge a notícia de que essa tal banda vai dar um concerto que nos será possível marcar presença… delírio! E agora? Esperamos que o concerto seja fantástico, que tudo corra de forma sincronizada, mas… nem sempre é assim.
Quero então falar desses concertos que correm de forma perfeita, que nos sentimos em transe, cujas forças da natureza e a energia envolvente estejam a 100%, que tudo está como deveria estar. Costumo designar esses momentos raros pelos momentos em que se sente o tal de um “click”, outros chamam-lhe de “estar em transe” ou “virar o livro”, como preferirem! Vou de seguida apresentar alguns exemplos de concertos em Portugal que, para mim, foram míticos, em que senti que de facto, tudo estava conectado naquele momento.

Deftones – 27 de Fevereiro de 2001 – Coliseu do Porto

http://youtu.be/tuXY-5LDqqM

Possuo ainda hoje um carinho especial por esta banda, sendo que nessa época era uma das minhas bandas preferidas. Tinham acabado de lançar o álbum “White Pony” e passaram pelo coliseu do Porto no âmbito do Super Bock Super Rock. Concerto altamente energético, o Chino Moreno transmitiu a totalidade da sua energia de forma evidente e transparente, como se vê no vídeo que coloquei. A cena do Chino Moreno subir para o camarote, cantar com dois fãs e saltar para o público está sempre presente nas minhas memórias positivas.

Queens of The Stone Age – 24 de Novembro de 2002  – Teatro Sá da Bandeira

Decorria um domingo chuvoso e lembro-me de pensar “hoje não me parece ser um bom dia para um concerto de stoner”, quando me direccionava de autocarro para o centro da cidade. Quando lá cheguei vi um grupo de stoner’s retirados de uma qualquer máquina do tempo a beber vinho tinto de pacote e subitamente pensei “afinal talvez seja um bom dia para stoner”. Tinham acabado de lançar o álbum “Songs for the Deaf” e foi um concerto altamente psicadélico com muita gente a dançar. Pena não terem tocado mais músicas daquele álbum de 1998. A banda de abertura, Millionaire, foi uma agradável surpresa.

Sunn O))) – 14 de Março de 2006 – Casa da Música

Fui para ver Earth e fui completamente desprevenido para a muralha sonora que os Reis do Drone criaram. Os primeiros 10 minutos de concerto confesso que sofri um pouco, mas depois de entender a banda e de entender o que ali estava a acontecer, tornou-se na noite estranhamente mais confortável que senti até hoje na Casa da Música. Afinal, o concerto consistiu em músicas do álbum… “Black One”.

Earth – 31 de Março de 2009 – Cinema Passos Manuel

Amigos, o que aconteceu nesta noite? Não tenho muito a dizer, uma vez as recordações que tenho deste concerto são, maioritariamente sensoriais. Fisicamente sentado e psicologicamente perdido no vazio cósmico, este concerto foi uma viagem difícil de explicar devido à sua extrema complexidade. Esta nova música que eles tocaram neste concerto e que coloquei o vídeo, é a “Old Black” mas eu penso que ficaria mais bonito e apropriado se se chamasse “Porto”.

Cough – 29 de Abril de 2011 – SWR Barroselas Metalfest

 Perdi esta banda no Roadburn devido à sobreposição de bandas que eu não poderia perder e, como tal, deixei esta banda para o Barroselas. Foi essencialmente por causa desta banda que eu fui ao festival e o concerto deles aromatizou a atmosfera da arena SWR. O álbum “Ritual Abuse” é das obras Doom mais bem conseguidas da última década e vou ouvir isso imediatamente. Intenso, feroz, nebuloso, arrastado, Doom… Barroselas precisava e precisará sempre de momentos como este.

Comentários

Comentar