Visão DOOMundo: Sustentabilidade eco-musical


Na realidade actual, os efeitos do aquecimento global são claramente visíveis e relativamente normais. Na última década, os conceitos de aquecimento global e de gases de efeito de estufa (GEE) foram finalmente transmitidos e entendidos pela humanidade e um pouco por todo o mundo é visível a preocupação em evitar, ou adiar, os danos referentes a tal. Diversos factores contribuíram para tal, tais como documentários e filmes ( “An Inconvenient Truth” de Al Gore e “The 11th Hour“, por exemplo), as sucessivas conferências ambientais internacionais (apesar das sucessivas falhas na hora da tomada de decisão…), o incentivo e a promoção da reciclagem, as diversas estratégias de gestão de resíduos, a aposta nas energias renováveis (macro e micro-produção), a eficiência energética, o mercado do carbono que se avizinha, etc.

A questão que eu coloco é a seguinte: no mundo da música, o que se faz para incentivar e estimular uma tendência humana sustentável e ecológica?

Na minha opinião, o mundo musical poderia dar muitos mais frutos na questão ambiental. Penso que não se faz o suficiente e cujo potencial é teoricamente infinito. Desde o nome de uma banda, às letras das suas músicas, video-clips, localização dos espaços de concertos e festivais, eco-pontos nesses mesmos locais, festivais cujo tema central é a preservação ambiental, equipamentos electrónicos alimentados por fontes de energia renováveis, tais como painéis fotovoltaicos ou turbinas eólicas, etc. Pode-se de facto afirmar que a questão ambiental é um tema precioso que poderá resultar em diversas abordagens, incluindo a música. É um diamante por lapidar!

Infelizmente nunca marquei presença num evento musical que tivesse como base o incentivo e o uso de práticas ecológicas. Um festival no meio da natureza e com eco-ponto não me parece suficiente… Pelos comentários que me foram transmitidos, o evento musical em Portugal que mais se relaciona com um movimento ambiental é o Boom Festival  que, apesar de não ser a minha onda,  tenho curiosidade em conhecer as suas práticas ambientais.

No que diz respeito à música propriamente dita, é muito comum as bandas abordarem cenários naturais únicos e inspiradores, tais como o black metal aborda as florestas escandinavas ou o stoner rock descreve o deserto escaldante e alucinante, sendo que nenhum passa a mensagem da importância de preservar esse tipo de beleza natural e de como o fazer. Assim como a mensagem pode ser “bonita”, também poderá ser destructiva, abordando uma previsão do que será a natureza e o funcionamento do mundo após os sucessivos massacres do aquecimento global… uhm… Ecologic Doom Metal!! Ou então substituir o tradicional e antíquado corpse paint por algum tipo de pintura corporal relacionado com o meio ambiente e criar assim algo como Atmospheric Green Metal. O importante é passar a mensagem, pois o tapete que pisamos agora, também será o tapete das próximas gerações e, como tal, seria conveniente não o sujar em demasia…

Alguém já foi a algum evento musical com características ambientais inovadoras? Alguma sugestão de banda com ideias ecológicas? Quem quiser conversar sobre questões ambientais que se identifique!

Mais uma vez, obrigado pela oportunidade e pela vossa atenção. Vemo-nos algures por aí.

Comentários

Comentar
  1. ty

    Assim de repente, lembro-me dos Wolves in the Throne Room e dos Gojira.

  2. J Veiga

    Já fui ao Boom e, sim, aquilo é qualquer coisa superior a todo o festival que tenho conhecimento… Agora até têm um palco mais virado para música do mundo (onde já foram os Blasted Mechanism e tal) e assim, mas é música mais virada para a espiritualidade, vá :P

    Posso dizer que foi o festival mais limpo a que fui e com melhor comida, tudo cozinhado ali na tranquilidade. Até havia lá um sítio onde uma pessoa podia fazer chá apenas com a luz solar :) (tinham um painel que reflectia e concentrava a luz na chaleira e aquilo fervia num instante).
    Mesmo assim, o que achei que definitivamente marcou mais a diferença foi o facto de grande parte da energia que consomem lá é produzida por geradores que usam óleo recolhido durante os 2 anos entre Booms, e as casas de banho… A sério… Por que raio é que os outros festivais n usam casas de banho como aquelas? <.< será um lobby qualquer de casas de banho portáteis/químicas. wtf…