Xela – The Illuminated (k7 digitalis 2008)

Soou o alarme na noite escura. Falava-se que Xela (aka John Twells) havia mergulhado em ambientes Noise (+) e para grande espanto, estava agora nas garras do Black Metal (sim é verdade, até porque já não é herege dizer-se à família que se gosta desses sons infames). Em comparação com Dead Sea (gosto mais), The Illuminated é um trabalho mais sufocante e cru. A primeira parte intitulada “Black Scripture” representa um Drone de manto ruidoso e negro. Como se ao vazio aquático de Dead Sea se juntasse agora uma tempestade com painel para a luz da morte. Ao batimento cardíaco leve de quem se acomodou com os últimos segundos de vida, surge nos minutos seguintes o caos a apodrecer nas mãos da distorção. “Gilted Rose” sofre da mesma patologia, sendo esta composição mais agressiva. A beleza (sim é bonito o caos) nas composições de Xela é que o Noise não é oco e demasiado branco (laboratorial), existem sempre dimensões para explorar, profundidade, sensações e impacto. A parte final do trabalho é um abrasivo romper de sangue com uma cacofonia Black Metal bem ao jeito dos tempos áureos e flamejantes. Lâminas, Lââââminas!!!!!

Comentários

Comentar
  1. João

    copos??? buba em casa a ouvir acid eater ../ nao há nada que mande tanto cenario como k7. tks pedro :)

  2. ::Andre::

    cool!!! muito bem sr. nunes, vou sacar ;)

    e espero pelo split xela/mgr…